Teoria psico sexual de freud

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2551 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO



Sigismund Schlomo Freud (1856-1939) e mais conhecido como Sigmund Freud , foi um médico neurologista austríaco e judeu, fundador da psicanálise. Freud nasceu em Freiberg, na época pertencente ao Império Austríaco; actualmente a região é denominada Příbor , na República Tcheca.

Considera que o desenvolvimento afectivo decorre ao longo de diversos estádios psicossexuaiscuja vivencia deixa marcas na personalidade do individuo.

Teoria psicossexual de Freud
Pode definir-se como um conjunto de transformações que ocorrem ao nível físico e psicológico, desde o nascimento até à morte dos indivíduos, apesar de ser durante a infância e a adolescência que ocorrem grandes transformações.



Freud é o grande teorizador do desenvolvimento do homem,considerado sob o ponto de vista afectivo. Tal como Piaget na perspectiva cognitiva, também Freud considera que a compreensão do comportamento requer uma analise dos fenómenos psíquicos, isto é, um estudo da dinâmica dos acontecimentos da mente. Porem, enquanto a perspectiva cognitiva encara as pessoas como processadoras racionais de informação, a perspectiva psicodinâmica, pelo contrario, procuraevidenciar aspectos em que a racionalidade humana falha: enfatiza as motivações inconscientes e o papel desempenhado pelas vivencias emocionais infantis na estruturação da personalidade do adulto.




Segundo Freud, o nosso aparelho psíquico, ou estrutura da personalidade, é formado por três componentes ou sistemas motivacionais, também designados por instancias do eu ou instancias depersonalidade: id, ego e superego.

ID

Também chamado infraeu ou infraego, é constituído por todos os impulsos biológicos, como a fome, sede e sexo, que exigem satisfação imediata. É o fundamento da sobrevivência individual e da espécie.

SUPEREGO

Também chamado de supereu, é constituído pelo conjunto de regras e proibições impostas primeiramente pelos pais e depois pelasociedade em geral e que forma interiorizados pelo individuo. É o fundamento da moral.

EGO

Também chamado eu, é o elemento decisor dos conflitos travados entre o id e o superego. Constitui o fundamento racional da personalidade humana.

Estas três instancias, na opinião freudiana, estabelecem entre si uma relação dinâmica, muitas vezes conflitual, de que resulta a condutadas pessoas. O comportamento de umas pessoas compreender-se-á pela supremacia do id , enquanto o de outras se entende pela predominância do superego.
















Geralmente, o id é o primeiro elemento. Nasce com a criança, constituindo o único sistema de motivações do bebé nos primeiros meses de vida. Isto significa que a energia psíquica deriva apenas de tendências instintivas denatureza biológica que visam a satisfação imediata na busca exclusiva do prazer.

A vida em sociedade seria impossível se as pessoas orientassem os seus actos para o prazer conferido pela satisfação rápida dos seus desejos. A busca narcísica e egocêntrica do prazer levaria a constantes frustrações e conflitos dado que, no mundo real, não existem condições que permitam que o objectivonecessário à libertação da energia pulsional seja encontrado, ou esteja disponível sempre que o individuo o procura .

Segundo a teoria psicanalítica, começa a surgir, relativamente cedo, uma outra instancia: o ego. Este desenvolve-se à medida que a criança vai experienciando e se vai apercebendo de privações e recusas do mundo exterio.

O ego tem por função orientar as pulsões de acordocom as exigências da realidade, de modo a tornar possível a adaptação do individuo ao mundo externo, ficando apto e enfrentar situações geradoras de ansiedade. No seu papel de arbitro na luta entre pulsões inatas e o meio, o ego conta com a ajuda de um conjunto de mecanismos de defesa que se vão progressivamente formando e que exercem um controlo inconsciente sobre as pulsões que ameaçam o...
tracking img