Teoria holistica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2865 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

[pic]















1 INTRODUÇÃO

As teorias de enfermagem ajudam na busca de sistematização e organização das observações feitas na prática e na estruturação das ações visando alcançar os objetivos determinados. De outro modo, a prática seria caótica e desintegradora. No holismo, a saúde de uma pessoa é vista como um equilíbrio entre o corpo, a mente, e oespírito. Esse trabalho aborda a teoria de Myra Estrin Levine conhecida como Teoria Holística na qual o holismo é mantido conservando a integridade, descreve a biografia da autora, específica e compara sua teoria, bem como os princípios que a regem dentro do processo de enfermagem, cita os metaparadigmas colocando como parecer à importância da visão holística do enfermeiro frente aos pacientes que procuramos serviços de saúde.





























2 REFERENCIAL TEÓRICO

2.1 A Teorista Myra Estrin Levine

Myra Estrin Levine viveu no período entre 1920-1996, nasceu em Chicago, sendo a primeira entre três irmãs. Começou a se interessar pela enfermagem devido á frequente doença de seu pai. Formou-se em graduação em 1944, pela Cook Country School of Science,SB da University of Chicago em 1959 e Mestre em Ciências em Enfermagem pela Wayne State University em 1962. (GEORGE, 2000).
De acordo com o autora George (2000), Levine não teria a intenção de desenvolver uma teoria, onde preferia identificar seu trabalho como um modelo conceitual. Afirmava que procurava encontrar um caminho para ensinar os principais conceitos da enfermagem médico-cirúrgica,para afastar-se do processo educacional orientado aos procedimentos. Seu interesse era ajudar as enfermeiras a compreenderem que todo o contato enfermeira-paciente leva a uma reflexão em relação ao cuidado de enfermagem que necessita ser resolvido de maneira individualizada.
A teorista defendia que a entrada no sistema de saúde está ligada com a desistência de algum grau de independência pessoal eespecificou que quando a pessoa entra no sistema de atendimento de saúde como cliente dá a ideia de estado de dependência que se liga ao sofrimento, pois o cliente é um seguidor. Sustenta então a palavra paciente, pois o mesmo significa sofredor. (GEORGE, 2000).
Levine baseou-se em algumas outras teorias para formular e acrescentar seu modelo conceitual, sendo elas: Cannon (1963), nos seusmecanismos fisiológicos, da resposta de fugir ou lutar. As teorias de estresse da Seye (1956), que falava sobre a proteção contra os perigos de viver. Em Gibson (1966), nos sistemas perceptivos, onde as pessoas colhem informações do seu ambiente para obter segurança, as descrições de Erickson (1969,1975) que proporcionaram maior expansão sobre as informações de Levine das interações pessoa-ambiente, adescrição de Bate (1967) sobre os três tipos de ambiente e os trabalhos de Dubos (1966), Cohen (1968) e Goldstein (1963) contribuíram para o conceito de adaptação de Levine.
2.2 Teoria de Levine e os princípios de conservação

Levine em sua teoria discorre sobre os conceitos de adaptação, conservação, integridade, mas, no entanto o núcleo central das suas teorias são os quatro princípios deconservação que oferecem uma orientação para que se encare o indivíduo de uma maneira holística. (GEORGE, 2000).
De acordo com a autora mencionada no parágrafo acima a adaptação seria o processo pelo qual o paciente mantém a integridade dentro da realidade do ambiente:
A adaptação é o processo da vida pelo qual, ao longo do tempo, as pessoas mantêm sua totalidade ou integridadeao reagirem aos desafios do ambiente; é a consequência da interação entre a pessoa e o ambiente. (TRENCH, Wallace &Coberg, 1987; Levine, 1989 apud GEORGE, 2000, p.160).

Segundo Potter e Perry (1998) Levine identifica o paciente como um ser integrado, que interage e se adapta ao ambiente, com conservação de energia, como preocupação principal. A ação da enfermagem está baseada no cuidado...
tracking img