Teoria do desenvolvimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3240 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
As sociedades Africanas

A África Subsaariana, isto é, ao sul do deserto do Saara, costuma ser dividida em três grandes áreas: Ocidental, Centro-Ocidental e Oriental.

Reino Sudaneses
Os povos que viviam no Sael (território de savanas ao sul do Saara). Eram conhecidos como sudaneses, pois essa área também era denominada Sudão (Bilad
al-Sudan, que em árabe significa terra dosnegros).
Habitavam vilas com casas de taipa ou palha, próximas às terras cultivadas. Organizavam-se em torno de linhagens e dos conselhos dos anciãos, sendo estes o
responsáveis pela resolução das disputas nas aldeias.
A formação de reinos no Sudão foi, em certa medida, incentivada pelo comércio transaariano de cereais e outros produtos agrícolas, além de âmbar, pimenta,marfim e escravos, que eram trocados por cavalos, sal, cobre, conchas, panos de algodão e tâmaras.
As rotas comerciais na área do deserto eram controladas pelos berberes, que ofereciam guias e camelos[....] Os berberes dividiam-se em azenegues e asnagas. Os azenegues comandavam, no século IX, a cidade de Audagoste, importante centro comercial de sal, tâmaras, cereais, jóias earmas de ferro. O comércio no deserto também era realizado por mouros e tuaregues, povos nômades que eram originários dos berberes.
O comércio transaariano proporcionou também o contato com o islamismo, religião monoteísta, fundada por Maomé (570-632) e baseada nas escrituras do Alcorão. O que aconteceu de um modo geral na África Ocidental foi uma harmonização das crenças,incluindo-se Alá no conjunto de deuses ou associando-o ao Ser Supremo, e comparando as figuras de anjos e demônios às forças sobrenaturais.
Os principais reinos sudaneses foram: Gana, Mali, Songai, Tecrur Canem e Bornu
A IMPORTANCIA DA ORALIDADE
Até os dias atuais, a maior parte das sociedades africanas subsaarianas dá grande importância àoralidade, ao conhecimento transmitido de geração para geração por meio das palavras proferidas com cuidado pelos tradicionalistas – os guardiões da tradição oral, que conhecem e transmitem as idéias sobre a origem do mundo, as ciências da natureza, a astronomia e os fatos históricos
GANA
Gana era um desses reinos sudaneses, consolidado a partir do século IV. Era formado por váriascomunidades soninquês, isto é, povos do grupo lingüístico mandê, que habitavam o território localizado entre as bacias do alto Níger e do Senegal.
Em Gana, a sociedade era dividida entre nobres, homens livres, servos e escravos. Alguns povos eram inteiramente sujeitados ao comando do rei, outros estavam ligados a ele apenas pelo pagamento de tributos ou militarmente, seguindo as determinações dosconselhos de anciãos ou dos chefes tradicionais.
O rei e seus súditos seguiam as convicções religiosas tradicionais, préservando os bosques, por exemplo, como lugares especiais que abrigavam os cerdotes e os túmulos dos reis. Existem relatos de que o rei governava voltado tanto para os adeptos das crenças tradicionais quanto para os islamitas.
Mali
Um dos reinosmais importantes da savana ocidental, sobretudo entre o séculos XIII e XV, era o Mali, localizado no alto do Níger.
A organização política do Mali abarcava desde reinos até aldeias sob influência do grande rei, devendo-lhe tributos, mas eram dirigidas por conselhos de anciãos. O Mali incorporou ao seu domínio o que teria sido o Império de Gana, o país sosso, os territórios compreendidospelos rios Gâmbia, Senegal e o alto Níger e também as minas de ouro de Bambuk e de Buré.
A sociedade dividia-se de forma hierárquica, estando no topo o rei do Mali, denominado mansa, seguido da linhagem real, do clã dos Queitas, da nação mandinga e das demais nações. Em cada nação, existiam as famílias reais, a nobreza, os homens livres, os mestres de ofícios tradicionais(ferreiros,...
tracking img