Teoria da personalidade karen horney

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1184 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade Santa Maria - FSM
Curso: Bacharelado em Psicologia / 2012.1
Disciplina: Teoria da Personalidade
Docente: Maria Gadelha
Discente: Clarissa Duarte; Daiane Ferreira; Dallison Pinheiro; Magna de Sousa;
Kattyane Candido; Thais Brasil; Wilma Penaforte

TEORIA DA PERSONALIDADE

Cajazeiras – PB
2012
Faculdade Santa Maria - FSM
Curso: Bacharelado em Psicologia / 2012.1
Disciplina:Teoria da Personalidade
Docente:
Discente: Daiane Ferreira de Oliveira

KAREN HORNEY
Necessidades e Tendências Neuróticas

Cajazeiras – PB
2012
KAREN HORNEY – NECESSIDADES E TENDÊNCIAS NEURÓTICAS

Karen Danielsen Horney foi outra desertora do ponto de vista Freudiano ortodoxo. Contraponho-se ao conceito freudiano de que as mulheres têm inveja do pênis, Honey disse que os homens têminveja da mulher pela sua capacidade de dar à luz. Defendia que a personalidade não pode depender totalmente de forças biológicas, como propôs Freud, porque se dependesse, não veríamos diferenças tão significativas de uma cultura para outra, mas sim pela sua necessidade de amor e segurança
Horney desde pequena invejava o irmão mais velho, Berndt, e tinha seu pai como forte influência em suahistória de vida. Podem-se ver as origens da teoria da personalidade de Horney nas suas experiências de infância. Resolveu torna-se médica, apesar da discriminação contra mulheres e da forte oposição contra do seu pai. De acordo com Schultz (2011, p. 137): “Em 1906, entrou na Escola de Medicina da Universidade de Freiburg (...), segundo conheceu dois homens: apaixonou-se por um e se casou com o outro. Osprimeiros anos de casamento foram períodos de angústia pessoal. O casamento terminou em 1927, após 17 anos”. Prosseguiu sua busca por amor, escolhendo homens cada vez mais jovens, porém sua atitude em relação a eles podia ser vista como despegada.
Horney afirmava que a infância era dominada pela necessidade de segurança, referindo-se à necessidade de segurança e libertação do medo. “Se acriança experimenta segurança e ausência do medo, isto é decisivo para determinação da normalidade do desenvolvimento de sua personalidade” (Schultz, 2011, p. 138).
Os pais podem agir de várias maneiras para desenvolver a insegurança dos filhos e, dessa forma, induzir à hostilidade. Elas podem sentir necessidade de reprimir a hostilidade gerada pelos comportamentos dos pais por desamparo, medo,necessidade de amor e sentimento de culpa. A culpa é um dos motivos de as crianças reprimirem a hostilidade. “Essa hostilidade reprimida ... mina a necessidade de segurança da criança e expressa no problema que Horney chamou de ansiedade básica” (Schultz, 2011, p. 139).
Horney (1937, p. 89) definiu a ansiedade básica como um “sentimento insidiosamente crescente e penetrante de se estar só e desamparadoem um mundo hostil” (Schultz, 2011, p. 139). Na infância, tentamos nos proteger contra a ansiedade básica de quatro maneiras: assegurando o afeto e o amor dos outros; sendo submisso como meio de autoproteção; obtendo o poder sobre os outros; afastando-se dos outros, não física mais psicologicamente. Todos os quatro mecanismos objetivam a defesa contra a ansiedade básica.
Necessidades eTendências Neuróticas

São elas: Afeto e aprovação; um parceiro dominador; poder; exploração; prestigio; admiração; realização ou ambição; autosuficiência; perfeição e limites restritos à vida. Nas necessidades neuróticas encontram-se as quatro maneiras de proteção contra ansiedade. Há três tendências de comportamentos e atitudes em relação à própria pessoa e as outras que expressam as necessidades dapessoa: Movimento em relação às outras pessoas (a personalidade submissa: exibe atitude e comportamentos que refletem um desejo de uma necessidade intensa e continua de afeto e aprovação, de ser amado, desejado e protegido; Movimento contra as outras pessoas (a personalidade agressiva: são motivadas a superar os outros, elas julgam tudo em termos do benefício que receberão do relacionamento);...
tracking img