Teoria da contingencia - chivenato

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2492 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A Teoria da Contingência enfatiza que não há nada de absoluto nas organizações ou na teoria administrativa. Tudo é relativo. A abordagem contingencial explica que existe uma relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas administrativas apropriadas para o alcance eficaz dos objetivos da organização.

Origens da Teoria da Contingência
A Teoria da Contingência surgiu a partir devárias pesquisas feitas para verificar os modelos de estruturas organizacionais mais eficazes em determinados tipos de empresas. Verificaram que não há um único e melhor jeito de organizar.

I. Pesquisa de Chandler sobre estratégia e estrutura
Chandler realizou uma investigação histórica sobre as mudanças estruturais de quatro grandes empresas americanas.

Para Chandler, as grandesorganizações passaram por um processo histórico que envolveu quatro fases distintas:

I. Acumulação de recursos.
II. Racionalização do uso dos recursos.
III. Continuação do crescimento.
IV. Racionalização do uso de recursos

2. Pesquisa de Burns e Stalker sobre organizações
Tom Burns e G. M. Stalker, * dois sociólogos, pesquisaram indústrias inglesas para verificar a relação entrepráticas administrativas e ambiente externo dessas indústrias. Encontraram diferentes procedimentos administrativos nas indústrias e as classificaram em dois tipos: organizações "mecanísticas" e "orgânicas".

I. As organizações mecanísticas apresentam as seguintes características:
a. Estrutura burocrática baseada em uma minuciosa divisão do trabalho.
b. Cargos ocupados porespecialistas com atribuições claramente definidas.
c. Decisões centralizadas e concentradas na cúpula da empresa.
d. Hierarquia rígida de autoridade baseada no comando único.
e. Sistema rígido de controle: a informação sobe por meio de filtros e as decisões descem por meio de uma sucessão de amplificadores.
f. Predomínio da interação vertical entre superior e subordinado.
g. Amplitude decontrole administrativo mais estreita.
h. Ênfase nas regras e procedimentos formais.
i. Ênfase nos princípios universais da Teoria
j. Clássica.

II. As organizações orgânicas apresentam as seguintes características:
a. Estruturas organizacionais flexíveis com pouca divisão de trabalho.
b. Cargos continuamente modificados e redefinidos por meio da interação comoutras pessoas que participam da tarefa.
c. Decisões descentralizadas e delegadas aos níveis inferiores.
d. Tarefas executadas por meio do conhecimento que as pessoas têm da empresa como um todo.
e. Hierarquia flexível, com predomínio da interação lateral sobre a vertical.
f. Amplitude de controle administrativo mais ampla.
g. Maior confiabilidade nas comunicaçõesinformais.
h. Ênfase nos princípios de relacionamento humano da Teoria das Relações Humanas.

Parecia haver dois sistemas divergentes de práticas administrativas: um sistema "mecanicista" apropriado para empresas que operam em condições ambientais estáveis e um sistema "orgânico" apropriado para empresas que operam em condições ambientais em mudança.

I. Sistemas mecanicistas oumecanistas. As tarefas são divididas por especialistas.
II. Sistemas orgânicos. São sistemas adaptáveis a condições ambientais instáveis, quando os problemas e exigências e ação não podem ser fragmentados e distribuídos entre especialista sem uma hierarquia definida.

3. Pesquisa de Lawrence e Lorsch sobre o ambiente
Lawrence e Lorsch fizeram uma pesquisa sobre o defrontamento entre organização eambiente que provocou o aparecimento da Teoria da Contingência. O nome Teoria da Contingência derivou dessa pesquisa.

Os autores concluíram que os problemas organizacionais básicos são a diferenciação e a integração.

a. Conceito de diferenciação e integração
Todas as organizações apresentam características de diferenciação e integração.

I. Diferenciação. A organização é dividida...
tracking img