Tempos modernos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1203 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
WELLINGTON SEVERIANO DE OLIVEIRA

TEMPOS MODERNOS

Trabalho apresentado para avaliação na disciplina de Introdução à Engenharia de Produção do Curso de Engenharia de Produção do Centro de Acadêmicos da Universidade Salgado de Oliveira.

Prof. Augusto Baeta

BELO HORIZONTE
2009

AGRADECIMENTOS ( é opcional )

- Aosfamiliares, esposa e filhos...............................................................
- A todos os colegas professores e alunos companheiros da lida do dia a dia.
- A Deus por pela vida e saúde.

SUMÁRIO

1 ESTUDO DIRIGIDO FILME TEMPOS MODERNOS – CHARLES chaplin 2

CONCLUSÃO OU CONSIDERAÇÕES FINAIS 4

INTRODUÇÃO

Conforme as orientações a introdução deve conter:apresentação do tema, justificativa, objetivo, idéia central e metodologia destacados em parágrafos distintos.

ESTUDO DIRIGIDO FILME TEMPOS MODERNOS – CHARLES CHAPLIN

Charles Chaplin nos mostra nesse filme alguns conceitos de produtividade estabelecidos pelos modelos de produção Taylorismo / Fordismo, logo na primeira cena aparece uma fábrica com grandes máquinas e operários sujos e mauscuidados. Onde cada operário executava somente uma tarefa; característica própria do modelo taylorista, na mesma cena nota-se uma produção em massa através da linha de montagem, estabelecida por um modelo de produtividade denominado Fordismo.
Naquela época, segundo Taylor a produção dependia muito da boa vontade do trabalhador, como só trabalhava porque era obrigado, o operário por sua vez,sempre que não estava sob o olhar do patrão ou do contramestre, fazia corpo mole. Baseado na afirmação acima, Chaplin deixa transparecer que a preocupação e o objetivo da classe empregadora era a produtividade e que o aumento desta ocorreria quando aplicava-se o aumento da velocidade do maquinário, percebe-se isso no momento em que o presidente da firma manda o capataz (encarregado) aumentar avelocidade da maquina exigindo assim maior esforço dos seus funcionários.
Os operários eram brutalizados, meros cumpridores de ordens, não tinham idéia do que estavam produzindo. Para o patrão, os operários tinham que produzir usando as mãos e não o cérebro é possível afirmar que não havia valorização do profissional.
No filme, nota-se que o presidente da empresa visava à expansão deseu mercado e de seus lucros, pensando nisso adotou um sistema de circuito de TV, com o intuito de acabar com a prática da indolência e da preguiça dos trabalhadores. Esse circuito de TV serviria para acompanhar o desempenho dos operários e impedindo-o de locomover-se, pois as peças eram transportadas até ele, o trabalhador se confundia com a própria máquina, era obrigado a manter um ritmo padrão detempo e produção. Comparando essa situação com a atual, percebemos mudanças sim, porém poucas, principalmente no que tange ao relacionamento patrão/operário, as empresas mantêm os conceitos de Taylor e Ford onde os operários não podem perder tempo para não atrasar a produção.
Num certo momento do filme é apresentado ao patrão uma tecnologia para melhorar a produção, o “interessante”eraque o funcionário não iria mais precisar parar nem para almoçar. O que seria essa tecnologia? Uma máquina para alimentar os operários. Houve interesse por parte do presidente, pois ele considerava que tal tecnologia aumentaria sua produção e apenas por razoes técnicas, (a máquina não funcionou com sucesso na apresentação) o presidente da empresa não quis comprá-la. Nos dias atuais grandes partesdas empresas adquirem seus maquinários através das representações. As empresas fornecedoras desses maquinários enviam seus representantes com eloqüência e grande poder de persuasão que acabam persuadindo o empregador a adquirir tais produtos. Uma vez adquirido maquinário de alta tecnologia, grande parte das empresas falham em não oferecer capacitação para seus operários manusearem as máquinas,...
tracking img