Tempos modernos - análise do filme

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 12 (2870 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 8 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TEMPOS MODERNOS





“O homem reduzido a gestos mecânicos, tornado esquizofrênico pelo parcelamento de tarefas foi retratado em Tempos Modernos, filme clássico de Charles Chaplim, o popular Carlitos” (ARANHA; MARTINS, 1993, p. 13).












Imagens do filme Tempos Modernos


Filme disponível em:http://adorocinema.cidadeinternet.com.br/filmes/temposmodernos/tempos-modernos.htm

O filme Tempos Modernos retrata, de forma bem humorada, os princípios administrativos introduzidos pela Teoria da Administração Científica. São eles:

• análise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos;
• estudo da fadiga humana;
• divisão do trabalho e especialização do operário;
• desenho de cargos e tarefas;
• conceito de homo economicus. A pessoa vistaapenas por recompensas econômicas ou materiais;
• condições ambientais de trabalho como, por exemplo, iluminação;
• padronização de métodos e de máquinas;
• supervisão funcional (relativa e parcial).


O filme Tempos Modernos, de Charles Chaplin, lançado em 1936, faz uma hilária crítica à indústria e à iniciativa privada de sua época, período em que a Revolução Industrialestava no auge.
Os princípios básicos da Administração Científica de Frederick W. Taylor, considerado o “Pai da Administração” - são ilustrados por meio de várias cenas do filme, bem como os problemas decorrentes de tais princípios. Por exemplo, o estudo de tempos e movimentos para que os funcionários executem as atividades industriais, é um dos principais legados da teoria taylorista,entretanto, Chaplin enfatiza as disfunções de tal princípio, como por exemplo, o desgaste físico e emocional dos funcionários provocados pela excessiva padronização das ações e longos períodos de tempo executando-as (especialização). Tudo isso vem regado com um humor crítico provocando a reflexão.

“Tempos Modernos” pode ser dividido em duas partes: a primeira, aborda a questão do trabalho nasindústrias e a crítica bem humorada e exagerada à Teoria da Administração Científica, de F. W. Taylor, a qual, entre outros princípios, destaca a sistematização do trabalho (o planejamento), substituindo o trabalho improvisado por uma metodologia científica. Na segunda parte, a abordagem crítica fica por conta das questões sociais – desigualdade entre ricos e pobres - e do relacionamento entre oprotagonista, Carlitos, e a garota órfã. Destacam-se, portanto, alguns elementos:

a) Subordinação do operário/trabalhador: a produção é controlada o tempo todo por meio dos olhos dos supervisores. No filme, este fato se evidencia pela presença quase onisciente do presidente da empresa. Uma cena que mostra isso claramente, é quando um alarme é acionado para que ocorra um revezamento. Nesse instanteCarlitos deixa a linha de produção e se dirige ao banheiro. No momento em que acredita estar só para fumar um cigarro e poder relaxar do exaustivo esforço repetitivo, eis que surge a imagem do presidente na tela ordenando que volte imediatamente ao trabalho;
b) Fragmentação do trabalho: toda tarefa é subdividida ao máximo para que possa ser descrita, cronometrada e ensinada e, dessa forma,otimizar a produtividade com uma velocidade maior na produção e uma maximização nos lucros. Isso fica evidente na cena em que Carlitos exerce a sua função na fábrica, qual seja, a de apertar parafusos. Na linha de produção, cada operário possui uma atividade específica e, por ser fragmentado, o trabalhador não consegue ter acesso ao todo, apenas à parte dele. O filme, apesar de mostrar que a indústriaem que Carlitos trabalha está relacionada com “eletricidade” (Electro Steel Corp.), não mostra exatamente o que se produz, qual é o todo;
c) Busca pela eficiência do trabalho: Taylor teve seu trabalho reconhecido, em parte por ser precursor nas teorias da administração e, por outro lado, por tratar as atividades desenvolvidas pelos trabalhadores de forma científica, visando à máxima...
tracking img