Temp ohistorico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 43 (10730 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SíNTESE NOVA FASE
V.

23

N.

73 (1996): 229-252

o

CONCEITO DE TEMPO HISTÓRICO RICOEUR, KOSELLECK UMA ARTICULAÇÃO POSSÍVEL

EM

E "ANNALES":

José Carlos Reis Dep. de História - UFOP

Resumo: O conceito de tempo histórico em Ricoeur, Koselleck e "Annales": uma articulação possível. Entre os discursos filosófico e físico sobre o tempo, este artigo apresenta a perspectiva dohistoriador sobre o tempo. Discute a condição de "terceiro tempo" do tempo histórico e se detém nas análises de Ricceur, Koselleck e "Annales" deste conceito. Finalmente, tenta articulá-Ias na consideração das relações entre tempo histórico e conhecimento histórico. Palavras-chave: Tempo histórico, Epistemologia da História, Historiografia, Filosofia das Ciências Sociais Abstract: The Concept ofHistorical Time in Ricceur, Koselleck anâ "Annales": a possible articulation. This article presents the historian's perspective about time between the physical and philosophical discourses about time. It discusses the condition of the historical time as a "third time" and examines the analysis of Ricceur, Koselleck and "Annales" about this concepl Finally, it tries to articula te them in the study ofthe relations between historical time and historical knowledge. Key Words: Historical Time, Epistemology of History, Historiography, Philosophy of the Social Sciences

Síntese Nova Fase, Belo Horizonte,

v. 23, n. 73, 1996

I 229

1- Discursando sobre o tempo: o físico,

o filósofo e o historiador.
Sobre o tempo tem-se duas perspectivas inconciliáveis: a da física e a da filosofia'. Afísica refere-se aos "movimentos naturais", a um tempo exterior, supra-lunar, imortal. Suas características são: a medida, a quantidade, a abstração, a reversabilidade, a homogeneidade, a extensão. O tempo é definido como o "número dos movimentos naturais". Nesses movimentos há uma abolição da diferença entre passado/presente e futuro. O ser que está no início do movimento é o mesmo que seencontra no seu final: não há esquecimento das condições iniciais. O tempo é o número de posições que um corpo ocupa no espaço ao longo da sua trajetória. O movimento é reversível: o ser que foi, volta. A referência para a medida dos movimentos, isto é, um movimento contínuo, homogêneo, regular, que sirva de base para uma contagem precisa dos movimentos dos corpos é o movimento dos astros e a velocidadeda luz. Como número do movimento dos corpos, o tempo é pensável em sua relação com o "espaço". Os corpos se deslocam no espaço e seu deslocamento medido, segundo aquelas referências acima, é o "tempoespaço". Aqui, na medida dos movimentos naturais, fala-se de "relações temporais": usa-se os conceitos neutros de anterioridade / posterioridade / anterioridade / instante abstrato. O movimento éabstratamente segmentável em qualquer um de seus pontos. Não se fala de "atribuições temporais", isto é, não se usa os conceitos de passado/presente e futuro", Não há, aqui, nenhuma preocupação com a eternidade, com a salvação. Não se trata de um tempo "vivido", mas neutro, indiferente, "natural". O "vivido humano" é posto de lado como irrelevante para o conhecimento do tempo. Há indiferença emrelação às idéias de vida e morte. É verdade, no entanto, que o segundo Princípio da Termodinâmica, que fala da entropia, se refere a um tempo evolutivo e irreversível da natureza -- mas, trata-se de uma "morte natural", sem a inquietação da finitude'. É um tempo não "vivido". Os autores dessa tradição: Piatão, Aristóteles, Newton, Einstein. Os físicos em geral... Quanto à filosofia, ela se refere às"mudanças vividas" pela consciência, a um tempo interior, sublunar, mortal'. Suas características são: a incomensurabilidade, a qualidade, o vivido concreto, a irreversibilidade, a sucessividade, a intensidade, a curta duração. E, sobretudo, a "reflexão". A alma ou consciência foi, é e será. Embora a consciência se esforce para se reter, para se intensificar, ela deixa de ser, torna-se, esquece-se...
tracking img