Sustentabilidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1996 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

A palavra “transporte” vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Podemos dizer que, em síntese, transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão, onde o transporte público é destinado a qualquer pessoa e o privado é restringido somente a quem os adquiriu.
Os transportes contêm três elementos:infraestrutura, veículos e operações comerciais. Infraestrutura é a malha de transporte: rodoviária, férrea, aérea, fluvial, tubular, etc. Os veículos são automóveis, bicicletas, ônibus, trens e aeronaves, que utilizam essa malha. As operações são as formas como esses veículos utilizam a rede, como leis, diretrizes, códigos, etc.

Barca ligando Rio a Caxias será sugerida ao governador

AAlerj aprovou, o parecer das comissões permanentes pela transformação do projeto de lei 1960/2004, que determina a implantação de uma linha de barcas ou catamarãs ligando o município do Rio de Janeiro ao de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, em indicação, por entender que só o Poder Executivo pode ter a iniciativa de criar a linha.

O projeto retornará ao autor, deputado André do PV, para queeste o reapresente como indicação simples, que é aquela através da qual são solicitadas ações de interesse público que não podem ser legitimadas por projetos de lei, de resolução ou decretos legislativos.

"A ligação por barca é uma grande alternativa de transporte seguro, confortável e econômico. A criação dessa nova linha vai desafogar as vias de transporte terrestres entre os municípios,diminuindo, assim, o desconforto e o tempo de locomoção dos moradores e trabalhadores das localidades envolvidas", defendeu o autor do projeto, deputado André do PV, acrescentando ainda que a Comissão de Defesa do Meio Ambiente, que ele preside, está fazendo um estudo de viabilidade técnica para a sugestão da escolha exata do local.

Fonte: Agência Rio

P R O J E T O  A N E L  C I C L O V I Á RI O

ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO
O projeto prevê a criação de ciclofaixas em vias de diversos bairros, interligando-se como num grande anel. Hierarquicamente, algumas vias são consideradas estruturais e merecedoras de um tratamento com maior grau de diferenciação e cuidados especiais com vistas à sua implantação.
O ANEL CICLOVIÁRIO pode ser constituído pelas seguintes vias e suasrespectivas extensões:

* Av. Brasil – 50,1 km
* Linha Vermelha – 6,7 km
* Linha Amarela – 19,0 km
* Av. Ayrton Senna – 3,7 km
* Av. das Américas – 16,0 km
* Av. Embaixador Abelardo Bueno – 3,8 km
* Av. Salvador Allende – 1,7 km
* Estrada dos Bandeirantes – 30,6 km
* Estrada Benvindo de Novaes – 3,0 km
* Estrada do Rio Morto – 5,7 km
* Av. Lucio Costa(Sernambetiba) – 270 m (*)
* Estrada do Pontal – 7,3 km
* Av. D. João VI - 17,9 km
* Estrada da Pedra - 4,1 km
* Rua Felipe Cardoso (incluindo a Praça Historiador Benedito de Freitas) – 2,9 km
* Rua Senador Camará – 610 m
* Av. Padre Guilherme Decaminada – 2,5 km

CONDIÇÕES OPERACIONAIS

Nem todas as vias relacionadas reúnem condições operacionais satisfatórias, sendo que algunscasos não permitem a criação de ciclofaixas e o tráfego dentro dos limites das linhas de bordo pode ser considerado praticamente inviável.
Um dos casos que melhor ilustra tal situação é a Linha Amarela, em que o intenso fluxo veicular, em ambos os sentidos, não permite o tráfego de ciclistas, a não ser que se crie infraestrutura própria, com alternativa coerente, que viabilize a criação deciclofaixa.
Em Santa Cruz, por outro lado, tendo em vista o advento do projeto Rio-Cidade, implantado e concluído há cerca de dois anos, algumas vias já estão dotadas de ciclovia, tais como parte da Av. Padre Guilherme Decaminada, Rua Senador Camará (em toda a sua extensão) e parte da Rua Felipe Cardoso (incluindo a Praça Historiador Benedito de Freitas), no trecho da Supervia até o Marco XI.

Tendo...
tracking img