Surdo-cegueira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1966 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO





Neste trabalho falaremos sobre a surdocegueira, uma deficiência múltipla que pode ser perda substancial da visão e audição ou perda total de ambos. Sua origem,causa, prevenção, a inclusão da criança com surdocegueira no âmbito escolar e as diferentes formas de comunicação que existem. A Surdocegueira pode ser pré ou pós lingüística, ou seja, antes ou depois daaquisição de uma língua.




A necessidade da inclusão desta criança no espaço educacional e as dificuldades de locomoção encontradas na escola e sala de aula. Veremos como a realização de exames antes a após o nascimento pode auxiliar no diagnostico de uma possível surdocegueira, facilitando o entendimento precoce das limitações e capacidades do portador de surdocegueira.1. Definição de Surdo cegueira






Os sentidos da audição e da visão são os sentidos que permite a pessoa o reconhecimento do mundo. A pessoa com surdo cegueira é privada desses sentidos dificultando sua vida social, ela precisa recorrer ao tato que oferece informações pontuais que a permitem o reconhecimento do mundo em seu redor.



Embora asurdo- cegueira possua duas deficiências associadas - a surdez e a cegueira - não se trata da somatória de ambas, mas uma deficiência única que apresenta suas próprias características como graves perdas auditivas e visuais.



Uma pessoa com perda da visão ou audição pode ver ou ouvir, mas uma pessoa com a perda desses dois canais sensoriais, visão e audição, experimenta uma combinação deprivação de sentidos que pode causar imensas dificuldades, que devem ser tratadas de modo especial, ajudando a pessoa surdo cega a inserir-se no mundo.



1.2 Historia da Surdo cegueira



A educação para surdo cego teve inicio na França, seguida de Alemanha e Finlândia. Com relatos de que a primeira instruída foi Victorine Morrisseau em Paris em 1789, Laura Bridgman nos EUA em 1837 e AnneSullivan.



A historia da educação para surdo cegos no Brasil teve inicio em 1953, coma visita de Helen Keller,que sensibilizou a educadora Nice Tonhozi Saraiva, que em 1962 começou a dedicar-se a educação de Surdocegos .




Fundou a SEADAV – Serviço de atendimento ao deficiente Audiovisual. Em 1968, a SEADAV passou a se chamar ERDAV – Escola Residencial para Deficientes Audiovisuais.Em 1977, para garantir maior autonomia da escola, foi novamente alterada e passa a ser chamada de FUMAS – Fundação Municipal Anne Sullivan, que ficou sendo a mantenedora da Escola de educação especial Anne Sullivan, que funciona até os dias de hoje, mas atende somente pessoas com deficiencia auditiva.






2. Comunicação do Surdocego



A comunicação é o meio pelo qual se estabeleceum vínculo com os outros; esta relação é estabelecida de diferentes maneiras e, segundo as possibilidades de cada um, pode acontecer com movimentos do corpo, utilizando objetos do ambiente ou desenvolvendo um código lingüístico.

O uso de objetos reais é uma possibilidade que consiste em interpretar uma atividade, ação ou situação por meio de um objeto, que adquire um valor simbólico.

Atravésdo uso dos objetos, a criança pode compreender e expressar as intenções comunicativas.

Nas crianças surdo cegas e multideficientes, a comunicação é o aspecto mais importante e, por isto, deve-se focar nele toda a atenção na implementação do programa educacional, já que é ela é o ponto de partida para chegar a aprendizagem.


É dificil imaginar como uma pessoa surdocega se comunica,dedicação e esforço são essenciais para o desenvolvimento da comunicação pontuamos alguns meios utilizados pelos surdocegos:



LÍNGUA DE SINAIS – LIBRA TÁTIL



É a Libras realizada na palma de uma das mãos de pessoas surdo cegas por meio de um profissional identificado como guia-intérprete, ou, aquele que deseja manter um diálogo com o surdo cego.





BRAILLE



A técnica Braille...
tracking img