Suinocultura catarinense

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (276 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Suinocultura catarinense

No Brasil o suíno sempre se destacou pela produção de gordura, perdendo espaço no mercado de banha nos anos de 1950 com a chegada de grandes produtores deóleos. A partir daí a carne suína passou a ser privilegiada e surgiu um novo perfil de consumo. Na busca por mais carne e menos gordura, os produtores trouxeram novas raças para o Brasil,como a Large White, Landrace, Berkshire, Hampshire e Wessesx .
A diversidade das raças gerou um novo patamar de desenvolvimento na suinocultura nacional. Uma melhor assistência técnica,um controle sanitário adequado e o desenvolvimento da indústria frigorífica e de alimentos garantiram ao país uma proteína animal mais eficiente e contribuíram para o aprimoramento deraças brasileiras.
Uma raça em suinocultura é constituída a partir de um conjunto de animais com características semelhantes, adquiridas por influências naturais e sexualmentetransmitidas. Desta forma, alguns escritores dividem as raças existentes no Brasil, como raças estrangeiras e nacionais.
A evolução da suinocultura no Brasil atinge a cadeia produtiva como umtodo, da genética à gestão de negócios, passando, é claro, pela nutrição, instalação, sanidade, manejo e práticas ambientalmente corretas. Envolve, indistintamente, criadores, indústrias,distribuidores e consumidores. Até meados do século passado os criadores eram independentes, com rebanho de pequenos portes, pouco afeitos a parcerias, sendo raros os vínculos legaisentre criadores e indústrias.
No decorrer do aperfeiçoamento genético surgem as Associações Estaduais que vão contribuir para o controle do avanço.
Em 24/07/1959 é fundada a AssociaçãoCatarinense de Criadores de Suínos – ACCS, como uma entidade de classe, sem fins lucrativos com objetivo, também, de defender e apoiar os suinocultores do Estado de Santa Catarina.
tracking img