Steve mccury

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1098 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Steve McCurry
McCurry é reconhecido universalmente como um dos melhores fotógrafos contemporâneos em função de suas imagens dramáticas e com cores evocativas. Por minha grande e justa admiração de seu trabalho resolvi mostrar um pouco de sua história nas próximas páginas.
Steve nasceu no ano de 1950, no subúrbio da Filadélfia, Pensilvânia. Ele estudou cinema na Universidade Estadual daPensilvânia, Estados Unidos, em 1968. Trabalhou para o jornal de sua universidade, chamado ‘’The Daily Collegian’’. E foi aí que começou seu interesse pela fotografia.
Depois de anos como freelancer e cansado disso, em 1986, no auge dos seus 27 anos, decidiu abandonar tudo. Com o dinheiro guardado na poupança e pouco mais que uma sacola de filmes fotográficos e outra de roupas ele explorou todo osubcontinente indiano com sua câmera e começou a descobrir seu talento. A idéia principal era filmar documentários, mas notou que era mais interessante e prático, pelas condições, fotografar sem rumo com sua câmera 35 mm.
Sua carreira estourou quando, infiltrado, cobriu a invasão soviética no Afeganistão no campo de refugiados de Nasir Bagh, no Paquistão. McCurry usou vestimentas típicas paradisfarce e escondeu seus equipamentos. Para sair do país, ele costurou os rolos de filme na cintura da calça. Dessa forma o fotógrafo mostrou ao mundo as primeiras fotos da guerra afegã. Em conseqüência disso, ganhou a medalha de ouro Robert Capa de melhor reportagem fotográfica no exterior, um prêmio dedicado aos fotógrafos de grande coragem e iniciativa.
Entre várias fotos do conflito, houve destaquepara o retrato da menina afegã. A garota de olhos verdes e penetrantes tornou-se o ‘’símbolo da resistência humana’’, segundo Steve. A fotografia foi capa da National Geographic em julho de 1985. McCurry continuou fotografando conflitos internacionais no Afeganistão, Camboja, Líbano, Filipinas além da guerra Irã-Iraque e a guerra do Golfo.
A partir do sucesso da foto da menina afegã Stevetornou-se conhecido também por ser um especialista em captar a história de um povo através de um retrato. Steve com freqüência leva os retratados para a sombra, pois quer os olhos bem abertos e a face relaxada ele quer simplesmente a alma revelada em seus rostos. ‘’Um bom retrato é aquele que diz algo sobre a pessoa. Temos sorte de sempre ver a nós mesmos em outras pessoas, então, um bom retrato tambémdiz algo sobre a condição humana. Vemos emoções na pessoa que podemos relacionar com alegria, tristeza e sofrimento. Quando um retrato não é bem sucedido, ele não lhe faz ver nada. Quero que as pessoas pensem sobre o conteúdo. Eu olho para os olhos. Sou fascinado pelo modo como olhamos de modo diferente, e o quanto você pode ver apenas olhando para o rosto. É como olhar para baixo, num poço, e láestá refletindo você, a sua alma. ’’, diz Steve.
Steve McCury tem algumas referências citadas como André Kertész e Henri Cartier-Bresson. Mas segundo ele, sua maior inspiração é a curiosidade pela a vida.
Alguns prêmios importantes foram

Prêmios:
2011 Leica Hall of Fame Award St. Moritz , Suíça

2011 Prêmio LiberPress Girona , Espanha

2009 Ambrogino D'Oro Milão , Itália

2006 LowellThomas OURO

2006 Primeiro Lugar, Buddha Estável , National Geographic , dezembro 2005 Associação Nacional de Imprensa Fotógrafos

2006 Honra Nova Zelândia Instituto de Fotografia Profissional (NZIPP)
2005 Honra O Royal Photographic Society da Grã-Bretanha, Londres
2005 Entendimento fotojornalismo Divisão Internacional através Photography Award Photographic Society of America
2003 O prêmioLucie de Fotojornalismo Prêmios Internacionais de fotografia
2003 Prêmio Distinguished Alumni Universidade Estadual da Pensilvânia

2003 Co-receptor do New York Film Festival de Ouro para o documentário, menina afegã: Found " New York Film Festival

2002 Professor Visitante Ilustre Faculdade de Estudos Criativos, da Universidade da Califórnia

2002 Doutor em Humanidades , honoris causa...
tracking img