Soren kierkegaard

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1491 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Colégio Estadual Presidente Lamenha Lins

Trabalho de Filosofia

Curitiba
2012
Colégio Estadual Presidente Lamenha Lins

Francielle Ferreira da Silva

Soren KierkegaardTrabalho solicitado pelo professor
Osíris, da disciplina de Filosofia.
Realizado pela aluna FrancielleFerreira da Silva, nº 11.


Curitiba
2012
Introdução

Filosoficamente, fez a ponte entre a filosofia hequeliana e aquilo que se tornaria no existencialismo. Kierkegaard rejeitou afilosofia hequeliana do seu tempo e aquilo que ele viu como o formalismo vácuo da igreja luterana dinamarquesa. Muitas das suas obras lidam com problemas religiosos tais como a natureza da fé, a instituição da fé cristã, e ética cristã e teologia. Por causa disto, a obra de Kierkegaard é, algumas vezes, caracterizada como existencialismo cristão, em oposição ao existencialismo de Jean-PaulSartre ou ao proto-existencialismo de Friedrich Nietzsche, ambos derivados de uma forte baseateística.
A obra de Kierkegaard é de difícil interpretação, uma vez que ele escreveu a maioria das suas obras sob vários pseudônimos, e muitas vezes esses pseudo-autores comentam os trabalhos de pseudo-autores anteriores.
Kierkegaard é um dos poucos autores cuja vida exerceu profunda influência nodesenvolvimento da obra. De fato, na acepção clássica, autores como Kant, Hegelou até Sartre, deveriam ser apenas chamados de "professores de filosofia" e não de filósofos. As inquietações e angústias que o acompanharam estão expressas em seus textos, incluindo a relação de angústia e sofrimento que ele manteve com o cristianismo — herança de um pai extremamente religioso, que cultivava de maneiraexacerbada os rígidos princípios do protestantismo dinamarquês, religião de Estado.

Vida de Soren
Soren Aabye Kierkegaard (Copenhague, 5 de Maio de 1813 — Copenhague, 11 de Novembro de 1855) foi um filósofo e teólogo dinamarquês. Kierkegaard criticava fortemente quer o hegelianismo do seu tempo quer o que ele via como as formalidades vazias da Igreja da Dinamarca. Grande parte da sua obraversa sobre as questões de que como cada pessoa deve viver, focando sobre a prioridade da realidade humana concreta em relação ao pensamento abstrato, dando ênfase à importância da escolha e compromisso pessoal. A sua obra teológica incide sobre a ética cristã e as instituições da Igreja. A sua obra na vertente psicológica explora as emoções e sentimentos dos indivíduos quando confrontados comas escolhas que a vida oferece.  Como parte do seu método filosófico, inspirado por Sócrates e pelos diálogos socráticos, a obra inicial de Kierkegaard foi escrita sob vários pseudônimos que apresentam cada um deles os seus pontos de vista distintivos e que interagem uns com os outros em complexos diálogos. Ele atribui pseudônimos para explorar pontos de vista particulares em profundidade, queem alguns casos chegam a ocupar vários livros, e Kierkegaard, ou outro pseudônimo, critica essas posições. A tarefa da descoberta do significado das suas obras é pois deixada ao leitor, porque "a tarefa deve ser tornada difícil, visto que apenas a dificuldade inspira os nobres de espírito" Subseqüentemente, os acadêmicos têm interpretado Kierkegaard de maneiras variadas, entre outras...
tracking img