Soda caustica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 30 (7273 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Secretaria de Estado da Agricultura e Política Rural Empresa de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural de Santa Catarina Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina

CUSTO DE PRODUÇÃO DO PEIXE DE ÁGUA DOCE
(MODELO ALTO VALE DO ITAJAÍ)
-Edição Revisada-

Maio/2003

Custo de Produção do Peixe de Água Doce – Modelo Alto vale do Itajaí
ESTADO DE SANTA CATARINAGOVERNADOR DO ESTADO Luis Henrique da Silveira VICE-GOVERNADOR Eduardo Pinho Moreira SECRETÁRIO DE ESTADO DA AGRICULTURA E POLÍTICA RURAL Moacir Sopelsa SECRETÁRIO EXECUTIVO DO INSTITUTO CEPA/SC Ademar Paulo Simom PRESIDENTE EXECUTIVO DA EPAGRI Athos de Almeida Lopes

ELABORAÇÃO José Souza Filho – Economista, Instituto Cepa/SC Claudemir Luiz Schappo – Técnico agrícola, Epagri Sérgio TadeuJurovsky Tamassia – Biólogo, Epagri David Herzog – Acad. da Ufsc, Bolsista Inst. Cepa/SC Tiago Bolan Frigo - Acad. da Ufsc, Bolsista Inst.Cepa/SC

REVISÃO/EDITORAÇÃO Joares A. Segalin

- Zélia Alves Silvestrini - Sidaura Lessa Graciosa

SOUZA FILHO, J.; SCHAPPO, C.L.; TAMASSIA, S.T. J. Custo de produção do peixe de água doce. ed. rev. Florianópolis: Instituto Cepa/SC/ Epagri, 2003. 40 p.(Cadernos de Indicadores Agrícolas, 2).

Peixe de água doce - Custo de produção – SC – Alto Vale do Itajaí. ISBN 85-88974-08-8

INSTITUTO DE PLANEJAMENTO E ECONOMIA AGRÍCOLA DE SANTA CATARINA Rodovia Admar Gonzaga, 1486 – 88.034-001 - Florianópolis/SC CP 1587 - Tel. (048) 239.3900 – Fax (048) 334-2311 www.icepa.com.br – email – icepa@icepa.com.br

Instituto Cepa/SC

Custo de Produçãodo Peixe de Água Doce – Modelo Alto vale do Itajaí

APRESENTAÇÃO
A piscicultura em Santa Catarina, iniciada na década de 70, teve como primeiro objetivo criar uma alternativa de renda para o pequeno produtor rural do interior do estado. Ao longo destes mais de 25 anos mostrou ser um segmento de muita importância, haja vista suas potencialidades e as significativas razões para sua adoção napropriedade, como o aproveitamento de áreas e dos resíduos orgânicos (dejetos), a utilização de mão-de-obra familiar e um bom retorno financeiro por capital investido. Como atividade em franco crescimento (em torno de 10% ao ano), existem hoje no estado a piscicultura de águas frias, com o cultivo de trutas (truticultura), nas partes altas e frias (planalto serrano), e a piscicultura deáguas mornas, cujo principal sistema de produção é o policultivo, com a utilização de adubo orgânico (peixe consorciado com frango, marreco ou suíno). Este trabalho teve como base o modelo aplicado no Alto Vale do Itajaí, devido à significativa expressão que a piscicultura de águas mornas tem nessa região. O Instituto Cepa/SC, gratificado por haver contribuído com um trabalho que, conjugandomodelo com custos de produção, ofereceu aos empreendimentos comerciais da região um sistema que melhoraria seu desempenho e rentabilidade, o lança em segunda edição, atualizada com os dados de 2003. Com isto, oferece uma oportunidade objetiva de confirmar a expectativa alimentada em seu lançamento, quando se acreditava que a atividade pudesse constituir uma alternativa de emprego e renda para aregião e as que, no estado, ofereçam condições semelhantes. Agradecemos a colaboração de todos os que contribuíram para a realização deste, em particular, as associações de piscicultores dos municípios da região do Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina.

Ademar Paulo Simon Secretário Executivo do Instituto Cepa/SC

Instituto Cepa/SC

Custo de Produção do Peixe de Água Doce – Modelo Altovale do Itajaí

VERSO APRESENTAÇÃO

Instituto Cepa/SC

Custo de Produção do Peixe de Água Doce – Modelo Alto vale do Itajaí

SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO ...................................................................................................................7 2. O MODELO ALTO VALE DO ITAJAÍ DE PISCICULTURA...............................................10 3. METODOGIA...
tracking img