Sociologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3048 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






Sociologia e Ética
Profissional



Parte I
Filosofia











Cláudia Venancio de Lima
claudiavenancio@globo.com

O QUE É ÉTICA?


“Conjunto de valores e princípios que usamos para decidir as três questões da vida: quero, devo e posso”. (Mário Sergio Cortella)
Quem define: “Você define através do modular, exemplar, princípios da sociedadereligiosos ou não, através de normatizações”. Ex: cigarro, cinto de segurança.




“Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém” – apóstolo Paulo Na língua grega existem duas vogais para pronunciar e grafar nossa vogal “e” uma vogal breve chamada epsílon, e uma vogal longa, chamada “eta”Èthos – costume (vogal longa)
Com a vogal breve significa caráter, índole natural, temperamento, conjunto dedisposições físicas e psíquicas de uma pessoa.



SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA MORAL


Senso Moral – É a maneira como avaliamos nossa situação e a de nossos semelhantes segundo idéias como as de justiça e injustiça. Ex: movimento de luta contra fome, sentimento de culpa, sentimento de admiração, sentimentos de cólera por violência.


Sentimentos de certo e errado, de justo e injusto.Situações dramáticas:
Aborto
Pai de família desempregado, com vários filhos pequenos e a esposa doente, recebe oferta de emprego que exige que seja desonesto, irregularidades que beneficiem seu patrão.
Estas situações põem à prova nossa consciência moral.
Exigem que decidamos o que fazer que justifiquemos para nós e para os outros as razões de nossas decisões e que assumamostodas as conseqüências delas, porque somos responsáveis por nossas opções.
Consciência moral – não se limita a aos nossos sentimentos morais, mas se refere
às avaliações de conduta que nos levam a tomar decisões por nós mesmos, a agir em conformidade com elas e a responder por elas perante os outros.


JUÍZO DE FATO E JUÍZO DE VALOR


Juízos de fato – são aqueles que dizem oque as coisas são, como são e porque são. Ex: “está chovendo”
Juízos de valor – não se contentam em dizer que algo é ou como algo é, mas se referem ao que algo deve ser. Ex: “a chuva é bela”

Os juízos morais de valor são normativos, isto é, enunciam normas que dizem como devem ser os bons sentimentos, as boas intenções e as boas ações, e como devem ser as ações e as decisões livres. Emoutras palavras, são normas que determinam o deve ser de nossos sentimentos, nossos atos, nossos comportamentos. Os juízos morais de valor nos dizem o que são o bem, o mal, a liberdade, a felicidade.


ÉTICA E VIOLÊNCIA


Quando acompanhamos a história das idéias éticas, desde a Antiguidade clássica (greco-romana) até nossos dias, podemos perceber que, em seu centro, encontra-se o problema daviolência e dos meios para evitá-la, diminuí-la controlá-la.


Quando uma cultura e uma sociedade definem o que entendem por mal, crime e vício definem aquilo que julgam ser uma violência contra um indivíduo ou contra o grupo. Simultaneamente, erguem os valores positivos – o bem, o mérito e a virtude – como barreiras éticas contra a violência. Ex: tribos indígenas.CONSTITUINTES DO CAMPO ÉTICO




Para que haja conduta ética é preciso que exista o agente consciente, isto é, aquele que conhece a diferença entre bem e mal, certo e errado, permitido e proibido, virtude e vício. A consciência moral não só conhece tais diferenças, mas também se reconhece como capaz de julgar o valor dos atos e das condutas.


E de agir em conformidade com os valores morais,sendo por isso responsável por suas ações e seus sentimentos e pelas conseqüências do que faz e sente. Consciência e responsabilidade são indispensáveis a vida ética.
Vontade – é esse poder deliberativo e decisório do agente moral. Para que exerça esse poder, a vontade deve ser livre, isto é, não pode estar submetida a vontade de um outro e não pode estar submetida aos instintos(sentimentos e...
tracking img