Sociedade brasileira: distanciamento do poder

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1285 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sociedade brasileira: Distanciamento do poder



Introdução

Este trabalho tem como objeto de estudo o distanciamento do poder. Tal tema é amplamente estudado nas ciências sociais e fundamental para se entender certos aspectos de uma ou mais sociedades. Ao longo do curso de Ciências Comportamentais Aplicadas a Marketing, foram tratados diversos temas que, de certa forma, estão ligadas aodistanciamento do poder, seja por contribuirem para a formação da identidade da sociedade brasileiro, ou, ainda, por estudarem outras características comportamentais relacionadas com o objeto de estudo deste ensaio.
Por se tratar de uma característica da sociedade brasileira, o distanciamento do poder não deixa de ser essencial para a compreensão do comportamento do consumidor no Brasil, e,portanto, está diretamente ligado ao marketing. Neste estudo, através da análise de formação histórica da sociedade brasileira e das discussão de textos estudados na disciplina, além de outras referências bibliográficas, pretende-se promover uma reflexão do tema, conectando-o às perspectivas de: tradição, ou seja, historicamente desde as relações coloniais Brasil-Portugal; na modernidade, quando em1970 autores como Roberto da Matta começaram a discutir tal assunto com maior profundidade; até a pós modernidade, ou seja, atualmente.

Revisão Bibliográfica

HOFSTED (1980), um dos principais estudiosos do tema distanciamento do poder, define o termo como:
“Distanciamento do poder pode ser definido como a extensão na qual os membros de menor poder em instituições e organizações em umpaís esperam e aceitam que o poder seja distribuido de forma desigual.”

O conceito trata-se, portanto, do fato de certas pessoas possuírem maior controle sobre as outras, devido à sua função na sociedade, seja profissional, como um juiz que dá uma “carteirada” para entrar em um show de rock ou pessoal, no qual os filhos respeitam o pai, justamente pela hirarquia na família.
O autoranteriormente cita, HOFSTEDE (1980) realizou um estudo que tratava diferenças culturais a partir de quatro dimensões, sendo umas delas o distanciamento do poder. As outras três eram: aversão à incerteza, individualismo e machismo. Para isso, aplicou 117.000 questionários em funcionários de IBM, de 53 países distintos, chegando a um índice para cada uma das dimensões. Cabe, neste trabalho, aprofundar-se nosresultados obtidos em distanciamento do poder, apresentado por PUDELKO (2010) apud HOFSTED (1980):

[pic]
Tabela 1: Ranking de Hofstede –Dimensão do Distanciamento do poder

No ranking de Hofstede (Tabela 1), a maior nota significa um maior distanciamento do poder. O Brasil ocupa o oitava lugar e, como se pode observar, os primeiros países, na sua maioria, são aqueles classificados como emdesenvolvimento.
Hofstede é muito citado no campo das ciências comportamentais, especialmente em no que diz respeito às diferenças culturais. Porém, há diversar críticas em relaçao ao estudo por ele realizado. PULDELKO (2010) apresenta vantagens e desvantagens da pesquisa de Hofstede. Como principais vantagens, tem-se, primeiramente, a praticidade, pelo fato de reduzir a complexidade do constructo“cultura” a apenas quatro dimensões; permitir a comparação de países pelo ranking; ser consistente com os esteriótipos ocidentais; e, por fim, possuir uma grande amostra e sofisticada análise estatística.
Como desvantagens ou críticas a Hofstede, aponta-se, primeiramente,que os Estados-nação ou culturas não são sempre congruentes – na Suíça, por exemplo, a parte alemã pode aproximar-se maisculturalmente à cultura alemã do que da próprio país, já que as divisões geográficas não necessariamente representam delimitações culturais. Ainda, critica-se o fato de que os pesquisadores envolvidos na elaboração da pesquisa eram apenas europeus e norte-americanos, o que pode ter tornado a pesquisa tendenciosa. Por serem funcionários da IBM, os respondentes eram, em sua maioria, brancos, do sexo...
tracking img