Sobre o crack

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3624 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

VILMA FURUNO DA SILVA VIEIRA












O USO DO CRACK: UM PROBLEMA SOCIAL RESTRITO ÁS METRÓPOLES




















Rio Branco

2012
VILMA FURUNO DA SILVA VIEIRA




















O USO DO CRACK: UM PROBLEMA SOCIAL RESTRITO ÁS METRÓPOLESTrabalho apresentado ao Curso Serviço Social da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina [Nome da Disciplina].


Prof. Lisnéia Rampazzo, Giane Albiazzetti. Cleiton
Lima e Rosane Malvezzi













Rio Branco

2012
















RESUMO



A “diferença entre acocaína em pó e o crack é apenas a forma de uso, mas o princípio ativo é o mesmo”, afirma Maldaner.Por ser produzido de maneira clandestina e sem qualquer tipo de controle, há diferença no nível de pureza do crack, que também pode conter outros tipos de substâncias tóxicas - cal, cimento, querosene, ácido sulfúrico, acetona, amônia e soda cáustica são comuns. “A pureza vai depender do valor pagona matéria-prima pelo produtor.No século XX, a família se tornou alvo de interesse das ciências. Com a socialização das ciências "psi" (Psicologia, Psiquiatria e Psicanálise), a família e outros grupos sociais ganharam status de determinantes de saúde/doença do indivíduo e objeto de intervenção (Aun, 2006). Encontramos na literatura diversos autores corroborando com a idéia da família como lócusprivilegiado do desenvolvimento humano (Campos, 2004; Mello Filho, 2004; Dessen e Polônia, 2007; Ciampone, 1999; Sarti, 2004; Gomes, 2005; Cerveny, 2002). Porém, ao mesmo tempo em que a família foi valorizada como local de influência para o desenvolvimento do indivíduo, ela foi também culpada pelos sofrimentos mentais. (Pereira & Bourget, 2010) Objetivo do serviço social aqui é o provimento derecursos indispensáveis à melhoria de condições do ser humano , visando à redução das condições de conflitos, procurando institucionalizar as mudança e motivar nas populações atitudes positivas face ao desenvolvimento nacional .


















SUMÁRIO


1. INTRODUÇÃO....................................................................................................4

2. A DROGA........................................................................................................... 5

3. PROCESSO CONHECIDO COMO CO-DEPENDENCIA............................... 9

4. BIBLIOGRAFIA..................................................................................................16INTRODUÇÃO

A tualmente vivenciamos um grande mau: o crack e que é desejo de todos que ele desapareça e possamos viver com mais tranqüilidade e melhor qualidade de vida.
Mais para que isso aconteça muitas pesquisas e estudos deverão ser feito.
Este trabalho diz respeito aos problemas relacionados ao crack nas grandes metrópoles. As principaisdificuldades para combater o crack.
Ainda alerta para o fato que o crack antes consumido por usuários de baixa renda, ter se alastrado por todas as camadas da sociedade.
Mostrando São Paulo como a primeira capital brasileira a enfrentar a epidemia do crack no começo dos anos 90.
Principal achado, a chegada da família real em 1808.
O trabalho doassistente social em combate ao crack e as conseqüências emocionais e afetivas do dependente químico e como os familiares lhe dão com estas situações desastrosas















O USO DO CRACK. UM PROBLEMA SOCIAL RESTRITO ÀS METROPÓLES?
A DROGA

[pic]

A chegada do crack ao sistema nervoso central leva, em média, de oito a 15 segundos. A ação da droga no cérebro dura...
tracking img