Situação alimentar e nutricional no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 14 (3282 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 12 de novembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE – RS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
CURSO DE NUTRIÇÃO
DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO E DEONTOLOGIA DA NUTRIÇÃO
Profª. Drª. LOIVA BEATRIZ DALLEPIANE









SITUAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL NO BRASIL





Andreza Pinheiro
Jassana Magalhães
Luiza Kerber Ost



Palmeira das Missões,RS, Brasil.
2013INTRODUÇÃO
A alimentação e nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento humano, com qualidade de visa e cidadania.
A população brasileira, nas últimas décadas, experimentou grandes transformações sociais que resultaram em mudanças no seu padrão de saúde e consumo alimentar.Essas transformações acarretaram impacto na diminuição da pobreza e exclusão social e por consequência da fome e desnutrição. Por outro lado, observa-se aumento vertiginoso do excesso de peso em todas as camadas da população, apontando para um novo cenário de problemas relacionados à alimentação e nutrição.
Desta forma, o presente trabalho irá abordar questões referentes à demanda dealimentos no Brasil e seus agravos, a produção dos mesmos de acordo com um quadro nutricional e a forma de acesso a eles proveniente da renda familiar.
Destaca-se também o perfil alimentar do brasileiro que se caracteriza por sua falta de tempo e correria diária acarretando uma má alimentação e consequentemente índices de obesidade e doenças, situação preocupante principalmente entre osadolescentes que terão problemas futuros relacionados a alimentação.
Portanto, o cenário apresentado no decorrer do trabalho reflete os avanços do Brasil na luta contra a fome e a desnutrição, embora ainda existam populações vulneráveis a estes agravos. O acelerado crescimento do excesso de peso em todas as faixas etárias e de renda deixa clara a necessidade de medidas de controle e prevenção doganho de peso.








DESENVOLVIMENTO
A demanda de alimentos em escala global aumentou de forma constante, nos últimos 20 anos, juntamente com o crescimento mundial da população. Melhorias na renda populacional, grandes safras e dietas diversificadas, fizeram os preços dos alimentos declinarem até os anos 2000. Em 2004, a produção de grãos continuou alta, porém sua procura aumentou econsequentemente seu preço começou a subir.
Os estoques de comida foram se esgotando e em 2005, por causa de acidentes meteorológicos nos principais países produtores, o preço dos alimentos subiu drasticamente. Em 2007, o preço do petróleo subiu e os custos de fertilizantes para a produção de alimentos subiram juntos. Aumentando ainda mais os custos da alimentação.
Com o aumento dospreços internacionais, alguns países decidiram procurar maneiras de isolar-se da escassez e dos preços altos. Outros países exportadores impuseram restrições à exportação, e importantes países importadores começaram a comprar grãos a qualquer preço, mantendo assim o seu abastecimento interno.
Isto gerou uma quebra total nos mercados internacionais e também atraiu investimentosespeculativos a mercados futuros e opcionais de grãos. Esse resultado trouxe um aumento ainda maior nos preços dos alimentos.
Como resolução para a crise, o Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon, criou uma Força-Tarefa, composta por 20 membros do sistema da ONU e por Jacques Diouf, Diretor-Geral da ONU para Agricultura e Alimentação, vice-presidente desse programa. Após a ação os preços foramse estabilizando calmamente, porém, os países mais vulneráveis levaram anos para sua estabilização.
O Programa Mundial de Alimentos (PMA), através da sua Resposta Global aos Preços Altos de Alimentos, aumentou a disponibilidade de alimentos nutritivos para crianças e outros grupos vulneráveis. Incluiu também, novos e melhores produtos às suas rações alimentares e promovendo a produção...
tracking img