Sistemas erp

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1526 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UFPE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CCSA - CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS











SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL
(SISTEMAS ERP)











Aluno: Abdênego Melquíades Marinho




Ciências Contábeis – 7º período – Noite

Disciplina: Análise de Sistemas Contábeis












1ºSemestre / 2008

Recife, 15 de abril de 2008


SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL
(SISTEMAS ERP)




Os Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) ou SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, no Brasil) são sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista tanto pela perspectivafuncional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras, etc) quanto pela perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisão, etc).
Os ERPs, em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando aautomação e armazenamento de todas as informações de negócios.



» BREVE HISTÓRICO:




Os Sistemas ERP conhecidos atualmente são fruto da evolução permanente de processos de gestão e produção ao longo dos anos. Devemos observar que esta evolução não é estanque, pois a cada dia surgem novos desafios que precisam ser solucionados e que necessitam de sistemas que atendam àsnecessidades específicas de cada organização.
No final da década de 50, quando os conceitos modernos de controle tecnológico e gestão corporativa tiveram seu início, a tecnologia vigente na época era baseada nos gigantescos “mainframes” que rodavam os primeiros sistemas de controle de estoques – atividade pioneira da interseção entre gestão e tecnologia. A automatização era cara, lenta – mas jádemandava menos tempo que os processos manuais.
No início da década de 70, a expansão econômica e a maior disseminação computacional geraram os MRPs (Material Requirement Planning ou planejamento das requisições de materiais), antecessores dos sistemas ERP. Eles surgiram já na forma de conjuntos de sistemas, também chamados de pacotes, que interagiam entre si e que possibilitavam oplanejamento do uso dos insumos e a administração das mais diversas etapas dos processos produtivos.
Seguindo a linha evolutiva, a década de 80 marcou o início das redes de computadores ligadas a servidores – mais baratos e fáceis de usar que os mainframes– e a revolução nas atividades de gerenciamento de produção e logística. O MRP se transformou em MRP II (que significava Manufacturing ResourcePlanning ou planejamento dos recursos de manufatura), que agora também controlava outras atividades como mão-de-obra e maquinário.
Na prática, o MRP II já poderia ser chamado de ERP pela abrangência de controles e gerenciamento. Porém, não se sabe ao certo quando o conjunto de sistemas ganhou essa denominação (ERP). Uma datação interessante é 1975, ano no qual surgiu a empresa alemã SAP(System Analyse and Programmentwicklung, na tradução literal Análise de Sistemas e Desenvolvimento de Programas). Com o lançamento do software R/2, ela entrou para a história da área de ERP e ainda hoje é seu maior motor de inovação.
O próximo passo, ainda na década de 80, serviu tanto para agilizar os processos quanto para estabelecer comunicação entre essas “ilhas” departamentais. Foram entãoagregados ao ERP novos sistemas, também conhecidos como módulos do pacote de gestão. As áreas contempladas seriam as de finanças, compras e vendas e recursos humanos, entre outras, ou seja, setores com uma conotação administrativa e de apoio à produção ingressaram na era da automação.
A nomenclatura ERP ganharia muita força na década de 90 entre outras razões pela evolução das redes de...
tracking img