Sistema financeiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1139 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Caroline da Silva Uchoa
7 ADM 1/09 N

É o conjunto de instituições e órgãos que regulam,
fiscalizam e executam as operação relativas à circulação da
moeda e do crédito.
Instituições financeiras são as pessoas jurídicas públicas
ou privadas que se dedicam:






À coleta
À intermediação (principal aspecto dessa atividade) →
de recursos financeiros próprios ou de terceiros.
Àaplicação

Na intermediação financeira dividimos as pessoas
em dois grupos:




Poupadores têm necessidade de guardar os
recursos de forma segura ou para ter
rentabilidade.
Tomadores têm necessidade dos recursos para
desenvolver um projeto que eles não tenham
condições
para
o
custeio.

A atual configuração Sistema
Financeiro Nacional baseia-se
principalmente nas reformasbancárias e do mercado de
capitais (Lei nº 4.595, de 31-121964, e Lei nº 4.728, de 14-71965), quando foram
constituídas como autoridades
monetárias e Conselho
Monetário Nacional (CMN) e o
Banco Central do Brasil (BC,
BCB ou BACEN).

Adicionalmente, em 1976, incorporou-se ao
sistema a Comissão de Valores Mobiliários
(CVM), voltada à regulamentação do mercado de
títulos mobiliários nãoemitidos pelo sistema
financeiro (por exemplo, ações e debêntures
emitidas por empresas produtivas) e pelo Tesouro
Nacional órgão do governo responsável (pelo
pagamento das contas públicas). Atualmente, o
Sistema Financeiro Nacional está dividido em
dois grupos: Divisão Normativa e Divisão
Operativa.

O conceito multiplicador bancário ilustra uma
dinâmica do mercado que “cria moeda”. Naverdade,
também se entende por moeda os diversos meios de
pagamento e de crédito utilizados pelos agentes
econômicos, o que torna o controle monetário por
parte do governo uma operação complexa.
Efetivamente, deve ser salientado que o governo não
é onipotente no que diz respeito à quantidade e
circulação das diversas formas de moeda. A prática
diz que as autoridades monetárias devem atuarnão
só sobre o mercado financeiro, mas também junto ao
mercado financeiro.

O principal órgão executivo das autoridades monetárias costuma ser
denominado de Banco Central.
Basicamente, há cinco instrumentos tradicionais de política monetária
junto ao mercado.
1. Emissão de papel-moeda;

2. Controle de reservas bancárias;
3. Operações com títulos públicos;
4. Empréstimos de liquidez àsinstituições financeiras (operações de
redesconto);
5. Controle e seleção de crédito.

As autoridades monetárias podem direcionar o
fluxo de recursos financeiros para algum setor
considerado importante (por exemplo: crédito
rural) ou mesmo para alguma empresa. Podem
levantar barreiras à entrada e saída de capital
financeiro estrangeiro. Podem regular o prazo de
compras a crédito,estabelecer seus limites e
aumentar suas exigências. Podem mesmo
estabelecer tetos máximos à taxa de juros do
mercado.

A emissão desenfreada do papel-moeda compromete
sua credibilidade e tende s ter impactos
inflacionários. Idealmente, à emissão de moeda
deveria estar relacionado não só o ritmo da atividade
econômica, mas também uma rigorosa disciplina
fiscal por parte do governo. Entretanto,embora a
emissão
de
moeda,
enquanto
forma
de
financiamento do governo, não possa ser separada
do que o governo faz em termos de política fiscal, ela
pode ser entendida como instrumento de política
monetária, já que possui seus próprios efeitos sobre a
demanda agregada e sobre os preços.

Já a taxa de reservas bancárias – também
denominadas de encaixes monetários dos bancos
– emrelação aos depósitos dos bancos comerciais
pode ser estabelecida em caráter compulsório
pelo Banco Central. Portanto, podemos
diferenciar reservas livres dos bancos – decididos
por eles mesmos, em faces de suas necessidades
de liquidez – de reservas compulsórias,
depositadas pelos bancos comerciais no Banco
central.

O Banco Central também afeta a oferta de moeda
por meio das operações...
tracking img