Sistema financeiro nacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1550 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sociedade de Ensino Superior de Alagoas – SESAL
Faculdade de Alagoas –FAL
Curso de Administração Financeira








“Sistema Financeiro Brasileiro”




Luiz Henrique
Henrique Buarque
Luana Caroline
José AlainEuryjones Cleristton











Maceió, 2006.

Sociedade de Ensino Superior de Alagoas – SESAL
Faculdade de Alagoas –FAL
Curso de Administração Financeira












Trabalho apresentado à disciplina Economia Nacional e Internacional, ministrado pelo Prof.º Adelmo Martins do Curso de Adm. Financeira.













Maceió,2006.

Estrutura do sistema financeiro nacional

O Sistema Financeiro Nacional pode ser entendido como um conjunto de instituições e instrumentos financeiros que visam transferir recursos dos agentes econômicos superavitários para os agentes econômicos deficitários. Todo processo de desenvolvimento de uma economia exige a participação crescente de capitais, que são identificadospor meio da poupança disponível dos agentes econômicos e direcionados para os setores produtivos que deles necessitam, através dos intermediários financeiros. É em função desse processo de distribuição de recursos que se evidencia a função econômica e social do sistema financeiro.
Grande parte do desenho institucional do Sistema Financeiro Nacional (SFN), alterou-se em uma ampla reforma estruturaldo setor a partir de 1964 quando, até então, era composto por bancos de desenvolvimento, nacionais ou estaduais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Banco do Nordeste (BN) ou, ainda, o Banco da Amazônia (BA), Caixas Econômicas, Federal (CEF) e Estaduais (CEE), além de bancos comerciais, cooperativas de crédito financiadoras e de capitalização, distribuidoras ebolsas de valores.
A função de Banco Central era exercida pela Superintendência da Moeda e do Crédito (SUMOC), instituição que funcionava junto ao Banco do Brasil (BB), acumulando, assim, as funções de banco comercial e banco do governo.
Nessa reestruturação, foram criados, o Banco Central do Brasil (BACEN), o Conselho Monetário Nacional (CMN), o Banco Nacional deHabitação (BNH), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), além de bancos de investimento e empresas corretoras de valores.
Até 1986, o Banco do Brasil (BB) era, ao lado do BACEN, CMN e CVM, uma das autoridades monetárias, perdendo essa condição após o Plano Cruzado que, dentre outras medidas, retirou sua conta movimento, que lhe dava a prerrogativa de sacar dinheiro contra o TesouroNacional (TN) sem custo algum, atendendo às demandas de crédito do setor estatal. Também nesse ano, o Banco Nacional de Habitação (BNH), foi extinto, alterando-se sensivelmente a configuração do sistema habitacional. (17)
Depois dessas transformações, a configuração atual do SFN pode ser dividida em dois subsistemas: o subsistema da intermediação financeira, enquadrando-se, nesse tipo,instituições bancárias, como o Banco do Brasil e os bancos comerciais, e não bancárias como o Sistema Financeiro da Habitação, os bancos de desenvolvimento e de investimento, e o subsistema normativo, onde estão todas as autoridades monetárias, ou seja, o Conselho Monetário Nacional, o Banco Central do Brasil e a Comissão de Valores Mobiliários.
O subsistema normativo regula e controla osubsistema operativo através de normas legais. O subsistema operativo é constituído pelas instituições que atuam no mercado financeiro, tendo como atividade principal ou acessória a intermediação de recursos financeiros próprios ou de terceiros.






As autoridades monetárias

O Conselho Monetário Nacional: Foi criado em 1964 para atuar como o verdadeiro conselho de política econômica, não...
tracking img