Sintese do texto para que filosofia?(marilena chaui)

egundo Marilkena Chauí muitos fazem a pergunta: afinal, para que Filosofia? Em geral, essa pergunta costuma receber uma resposta irônica, conhecida dos estudantes de Filosofia: “A Filosofia é umaciência com a qual e sem a qual o mundo permanece tal e qual”. Ou seja, a Filosofia não serve para nada. Por isso, se costuma chamar de “filósofo” alguém sempre distraído, com a cabeça no mundo da lua,pensando e dizendo coisas que ninguém entende e que são perfeitamente inúteis.Essa pergunta, “Para que Filosofia?”, tem a sua razão de ser. Em nossa cultura e em nossa sociedade, costumamos considerarque alguma coisa só tem o direito de existir se tiver alguma finalidade prática, muito visível e de utilidade imediata, como no caso das produções artísticas.Ninguém, todavia, consegue ver para queserviria a Filosofia, donde dizer-se: não serve para coisa alguma.Parece, porém, que o senso comum não enxerga algo que os cientistas sabem muito bem. As ciências pretendem ser conhecimentos verdadeiros,obtidos graças a procedimentos rigorosos de pensamento; pretendem agir sobre a realidade, através de instrumentos e objetos técnicos; pretendem fazer progressos nos conhecimentos, corrigindo-os eaumentando-os. Ora, todas essas pretensões das ciências pressupõem que elas acreditam na existência da verdade, de procedimentos corretos para bem usar o pensamento, na tecnologia como aplicação práticade teorias, na racionalidade dos conhecimentos, porque podem ser corrigidos e aperfeiçoados.Verdade, pensamento, procedimentos especiais para conhecer fatos, relação entre teoria e prática, correção eacúmulo de saberes: tudo isso não é ciência, são questões filosóficas. O cientista parte delas como questões já respondidas, mas é a Filosofia quem as formula e busca respostas para elas. Assim, otrabalho das ciências pressupõe, como condição, o trabalho da Filosofia, mesmo que o cientista não seja filósofo. No entanto, como apenas os cientistas e filósofos sabem disso, o senso comum continua...