Sindrome de fournier

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2030 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS
DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM, NUTRIÇÃO E FISIOTERAPIA
INTERNATO I I

Estudo de Caso


Estudo de Caso: Síndrome de Fournier

Síndrome de Fournier é uma patologia infecciosa grave, rara, de rápida progressão, que acomete a região genital e áreas adjacentes, que leva à trombose de pequenos vasossubcutâneos, evoluindo para necrose é caracterizada por uma intensa destruição tissular, envolvendo o tecido subcutâneo e a fáscia, devido à ação conjunta das bactérias aeróbias e anaeróbias.
Recebe o nome de Síndrome de Fournier quando o processo infeccioso acomete a região perineal, porém é também conhecida como fascite necrosante do períneo, gangrena escrotal, celulite necrosante sinérgica, gangrenasinérgica, gangrena idiopática, gangrena fulminante.
Os sinais e sintomas mais evidentes são desconfortos escrotais evoluindo para sensações dolorosas, mal estar, febre alta acompanhada de calafrios e sudorese. É comum no início, um discreto edema sem lesão aparente podendo ou não estar evidente os sinais clássicos de inflamação local, porém, com o desenvolvimento da doença ocorrem áreasde enduração da derme, eritema, formação de bolhas permitindo que a infecção se espalhe pela fáscia, progredindo para ferida e necrose.
Entre as condições associadas, destacam-se as sistêmicas, como Diabetes Mellitus, alcoolismo, outras condições imunossupressoras e as locais, como traumas da genitália.

Fisiopatologia:

A gangrena de Fournier é uma infecção necrotizante envolvendoas partes moles da genitália masculina, cujos agentes etiológicos, mais comumente isolados dos tecidos acometidos, são germes anaeróbicos (Bacterióides, Clostridium ou Streptococci) e aeróbios (E. coli, Staphylococcus epidermidis). (BASKIN, et al, 1990)

As principais fontes de infecção são anorretais, geniturinárias e lesões cutâneas, atingindo, preferencialmente, a pele escrotal(SILVA,2000).
Várias sugestões procuram explicar o principal local de ocorrência, tais como a falta de higiene; evaporação reduzida de suor; pregas da pele que albergam, em ninhos, bactérias que penetram após pequenos traumas; presença de rugas da pele, que impedem uma circulação livre, com baixa resistência à infecção; tecido celular subcutâneo muito frouxo, facilitando a disseminação; ocorrênciade edema em trauma ou infecções menores, interferindo na vascularização adequada da região; trombose extensa de vasos subcutâneos.
À medida que ocorre a disseminação de bactérias aeróbias e anaeróbias a concentração de oxigênio nos tecidos é reduzida; com hipóxia e isquemia tecidual o metabolismo fica prejudicado, provocando uma maior disseminação de microrganismos facultativos, que sebeneficiam das fontes energéticas das células formando gases (hidrogênio e nitrogênio) responsáveis pela crepitação demostrado nas primeiras 48/72 horas de infecção. (HUTZLER, 1991).
As bactérias anaeróbias diferem de outras bactérias de várias maneiras. Elas desenvolvem-se adequadamente em áreas do organismo com concentrações baixas de oxigênio (p.ex., intestino) e nos tecidos que sofrem umprocesso de degeneração, particularmente as feridas profundas e contaminadas, onde outras bactérias não conseguem sobreviver e onde as defesas do organismo não chegam facilmente. (Manual Merck,2011)
Quando o ambiente normal de determinadas espécies de bactérias anaeróbias é desequilibrado por uma cirurgia, por um suprimento sangüíneo inadequado ou por uma lesão tecidual, elas podem invadiros tecidos do hospedeiro, causando infecções graves ou mesmo letais.( Manual Merck, 2011)
A infecção representa um desequilíbrio entre a imunidade do hospedeiro
comprometida, fornecendo um ambiente favorável a infecção, e a virulência e
variedade dos microorganismos, devido a produção de toxinas ou enzimas, as quais agem sinergicamente, promovendo um ambiente condutivo a rápida...
tracking img