Sindrome de brun out

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2418 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O burnout e os enfermeiros
Mário Teixeira teixema@gmail.com

1. Resumo
2. Introdução
3. Do conceito de burnout
4. Características e consequências do burnout
5. O burnout nos enfermeiros
6. Prevenção e tratamento do burnout
7. Conclusões
8. Bibliografia

Resumo
A finalidade do artigo é apresentar a síndrome de burnout, suas características, consequências,estratégias de prevenção e estabelecer a sua relação com o trabalho dos enfermeiros. Em primeiro lugar, aborda-se o conceito de burnout, suas principais características e consequências para a pessoa e o seu meio. Em segundo lugar, descrevem-se alguns estudos que analisam a relação entre o burnout e a prática de Enfermagem. Finalmente, descrevem-se algumas estratégias de prevenção e tratamento doburnout, reforçando-se a necessidade de encarar o fenómeno não apenas como um problema individual, mas também como problema organizacional.
Palavras-chave: Síndrome de Burnout; enfermeiros

Introdução
O burnout, expressão inglesa para designar aquilo que deixou de funcionar por exaustão de energia, constitui actualmente um dos grandes problemas psicossociais, despertando interesse epreocupação por parte da comunidade científica e das empresas, devido à severidade das suas consequências, quer ao nível individual, quer ao nível organizacional. De facto, o burnout sendo um estado de esgotamento, decepção e perda do interesse pelo trabalho, produz sofrimento no indivíduo e tem consequências sobre o seu estado de saúde e o seu desempenho, pois passam a existir alterações pessoais eorganizacionais.
Esta síndrome acomete, geralmente, os profissionais que trabalham em contacto directo com pessoas, sendo predominante nos profissionais de saúde (Maslach e Jackson 1981, cit. por Silva, 2000 e Borges et al., 2002). Os estudos demonstram que o burnout afecta os enfermeiros, em diferentes partes do mundo e em diversos contextos de trabalho, levando-os a desenvolver sentimentosde frustração, frieza e indiferença em relação às necessidades e ao sofrimento dos seus utentes (Spooner-Lane, 2004; Díaz-Muñoz, 2005).
Acredita-se que, se os enfermeiros conhecerem as características, consequências e estratégias de prevenção do burnout, poderão ter uma maior satisfação laboral e prestar cuidados de melhor qualidade aos utentes.

Do conceito de burnout
O termoburnout foi inicialmente utilizado por Brandley, em 1969, mas ficou conhecido a partir de 1974 através de Freudenberger, psiquiatra que trabalhava com toxicodependentes em Nova Iorque. Ele observou que alguns voluntários apresentavam uma progressiva perda de energia até chegar ao esgotamento e sintomas de ansiedade e depressão, e descreveu que eram menos sensíveis e compreensivos, desmotivados eagressivos em relação aos doentes, com um tratamento distanciado e cínico e com tendência a culpá-los pelos seus próprios problemas (Borges et al., 2002; Gisbert, 2002; Benevides-Pereira, 2003; Farina, 2004; Muller, 2004).
Desde então, os estudos tornaram-se gradualmente numerosos e há hoje na literatura diferentes denominações para o burnout. A síndrome é referida como: stresse laboral, stresseprofissional, stresse assistencial, stresse ocupacional, neurose profissional ou neurose de excelência, síndrome do esgotamento profissional e síndrome de queimar-se pelo trabalho, o que muitas vezes dificulta um levantamento de pesquisas na área (Benevides-Pereira, 2003).
Segundo esta investigadora, a maioria dos autores está de acordo que o burnout é uma síndrome característica do meiolaboral, que resulta da cronificação do stresse ocupacional e produz consequências negativas a nível individual, profissional, familiar e social.
Gil-Monte e Peiró (1997), cit. por Borges (2002), distinguem os estudos sobre o burnout segundo duas perspectivas: a clínica e a psicossocial. A primeira, define a síndrome de burnout como um estado de esgotamento, decepção e perda do interesse...
tracking img