Silbologia, naturalismo e realismo em o tesouro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1030 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
IESA UNIESP



















Dissertação Literária
Literatura Portuguesa III





















Santo André
2012
IESA UNIESP

4º ALEN - Letras








Dissertação Literária
Literatura Portuguesa III


















Santo André
2012

Sumário

1.Introdução....................................................................................................04
2. Desenvolvimento..........................................................................................05
3. Referência Bibliográfica...............................................................................09


 

 

 



 





















1. Introdução

Este trabalho tem como objetivo abordarquestões sobre o conto “O Tesouro” de Eça de Queirós, fazendo um elo com a teoria de Edgar Allan Poe, desenvolvendo assim a nossa capacidade argumentativa, ampliando nosso conhecimento e entendimento.









































2. Desenvolvimento




1. Analise as simbologias do conto.

O número três:
Refere-se a apresentação de uminteiro, como uma família, que é representada por pai, mãe e filho, os irmãos Medranhos possuem essa hierarquia. Três é o número da família, mesmo que aqui ela esteja imperfeita, pois é composta apenas por três irmãos.


“Os três irmãos de Medranhos...”
“... a comprar três alforjes de couro, três maquias de cevada, três empadões de carne e três botelhas de vinho.”

“... três chaves na suastrês fechaduras...”
Preservando o conteúdo do cofre, onde somente com a cooperação dos três proprietários, pelo interesse dos três é possível atingir o tesouro.


Telha:
Significa proteção, mas quando o ambiente é destelhado (como é o caso da casa dos irmãos que não possui telhas), as más influencias incidem sobre o homem.


Lareira:
Na simbologia é o centro da vida. No conto como lareiranegra possui significado oposto.


Água:
Citada em muitos trechos do conto representa principalmente a vida e a purificação, seja em forma de fio de água, seja como fonte que lavava o morto.


Vinho:
Representa o sangue, derramado por todos os personagens do conto.


Corvo:
É o mau agouro, a ave negra dos românticos. Aparece mais de uma vez no conto.


Pluma:
Canal que faz com que asorações subam até o céu. Aparece duas vezes no conto e na última vez aparece quebrada, cortando assim a possibilidade de comunicação.


Ruivo:
Representa o fogo impuro. Rui, personagem mais ativo desde o começo até o fim do conto, é um homem ruivo. Desde as iniciais do seu nome, até suas atitudes, demonstram essa impureza.


Ouro:
No conto é a perversão e exaltação impura dos desejos.Música Fúnebre:
Cantada por Guanes em sua partida e em sua chegada representa luto, e preconizava má intenção.

Olé! Olé!
Sale la cruz de la iglesia,
Vestida de negro luto...



2. Disserte sobre os aspectos naturalistas e realistas do conto.

Aspectos Realistas:

A fina ironia, característica do Realista não poderia deixar de estar presente no conto, a cobiça seguida de traição,demonstrada pelos irmãos Rui e Rostabal planejam a morte de Guanes, por interesse no ouro que havia dentro do cofre.

“... Pois que se Guanes tivesse quedado em Medranhos, só eles dois teriam descoberto o cofre, e só entre eles se dividiria o ouro.”
“Ah! Rostabal, Rostabal! Se Guanes, passando aqui sozinho, tivesse achado este ouro, não dividiria conosco Rostabal!”

“... Pois que morra, e morrahoje! – bradou Rostabal.”

“Foram. Ambos se emboscaram por trás de um silvado...”
“Rostabal rompeu de entre a sarça por uma brecha, atirou o braço, a longa espada; - e toda a lâmina se embebeu molemente na ilharga de Guanes...”

“... Então Rui tirou, lentamente, do cinto, a sua navalha. Sem um rumor na relva espessa, deslizou até Rostabal, que resfolgava, com as longas barbas pingando....
tracking img