Sex shop

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3709 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVII Prêmio Expocom 2010 – Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação

O perfil do consumidor de sex-shop em Aracaju1 Elaine Mesquita de Oliveira2 Fábio Nunes Oliveira3 Marta Olivia Santana Costa4 Orientador: Profº Msc. Matheus Pereira Matos Felizola5 Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE

RESUMO:O presente trabalho tem como objetivo buscar elaborar o perfil do consumidor de sex-shop no município de Aracaju e seu comportamento de compra na sociedade de consumo, onde as mudanças comportamentais ocorrem em ritmo acelerado e o consumidor está mais informado. A importância disso é analisarmos qual tipo de público consome este tipo de produto e sua relação com a sexualidade voltada entãoapenas para a obtenção do prazer. O desejo e a busca pelo prazer é o que vigoram nesta atual formação social. Como metodologias utilizamos a pesquisa em fontes primárias, através da utilização de referencial bibliográfico, entrevista e aplicação de questionário às consumidoras que frequentam sexshops. Como resultado, observamos que a predominância é do público feminino, que responde por setenta porcento desta fatia de mercado e vem crescendo. PALAVRAS-CHAVE: sexualidade, erotismo, sex-shop, consumo, satisfação 1. INTRODUÇÃO A vida moderna e as mudanças decorridas no mundo globalizado fizeram que mudassem as relações de consumo. O consumo foi elevado à categoria de cultura e o marketing foi incorporado a essa cultura emergente e aparentemente solidificada no mundo comercial dentro de um mercadoque visa a satisfação dos desejos do ser humano e, em contraste, a satisfação almejada mostra a insatisfação e o desejo de busca constante desse mesmo ser humano que não se dá conta dos jogos que o mercado consumidor utiliza para atraí-lo. Em meio a este mercado com uma enorme variedade de produtos está um segmento ainda

1

Trabalho submetido ao XVII Prêmio Expocom 2010, na CategoriaPublicidade e Propaganda, modalidade Pesquisa Mercadológica. 2 Aluno líder do grupo e estudante do 7º. Semestre do Curso Comunicação Social - habilitação em Jornalismo, email: elainemesoli@hotmail.com 3 Graduado em Radialismo pela Universidade Federal de Sergipe. E-mail: fabio.nunes@infonet.com.br. 4 Estudante do 4º semestre do curso de Jornalismo. E-mail: olivcost@hotmail.com 5 Orientador do trabalho.Professor do Curso Publicidade e Propaganda, Doutorando em ciências Sociais na UFRN email: aracaju@infonet.com.br.
1

Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVII Prêmio Expocom 2010 – Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação

pouco explorado: o de produtos eróticos. O consumo deste tipo de produto está atrelado ao desejo de satisfação,conhecimento de seu corpo e busca pelo prazer inerentes ao homem.

Quem consome produtos eróticos e se dirige às lojas especializadas nesse tipo de oferta é um público cada vez mais crescente. No Brasil esse mercado vem tendo um crescimento de cerca de 30% ao ano e tem um maior potencial em São Paulo.

Essa tendência de crescimento já atingiu Aracaju, capital de Sergipe e está avançando no segmento. Onúmero de sex-shops nesta capital vem aumentando ano após ano e para analisar o perfil de quem consome estes produtos fizemos um estudo de caso numa loja que ampliou seu tamanho já por duas vezes. A loja de lingerie Minha Moda, situada no centro de Aracaju, iniciou com alguns produtos num canto nos fundos da loja, ampliou para uma sala na mesmo local e hoje ocupa um andar inteiro com produtoseróticos.

Como metodologia, neste trabalho foram utilizados uma entrevista e um questionário com perguntas abertas e fechadas, dando liberdade ao entrevistado para que expusesse os motivos que o levam a consumir produtos eróticos.

2.DOS ESTUDOS SEXUAIS AO CONSUMO ERÓTICO

Em toda a história, o prazer sempre foi motivo de pudor. Mas o senso comum defende que somente a partir do século XIX...
tracking img