Serviço social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2132 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO A DISTANCIA CONECTADO

SERVIÇO SOCIAL

ANTONIA DE MARIA LOPES DA ROCHA

idoso e seus direitos

Saúde na terceira idade

NILÓPOLIS
20/05/2011

antonia de maria lopes da rocha

idoso e seus direitos
Saúde na terceira idade

Trabalho apresentado ao Curso Serviço Social da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para adisciplina Atividades Interdiciplinares.

Prof. Edna Braun, Jossan Batistuti,Rodrigo Eduardo Zambon e Sirlei Fortes de Jesus.

NILÓPOLIS
20/05/2011
INTRODUÇÃO

O trabalho a seguir nos traz um pouco da realidade do idoso nos dias atuais. Sabemos que é uma causa irreversível, envelhecer, e a quantidade de idosos no mundo é muito grande, e com a taxa denatalidade menor na atualidade a proporção de pessoas idosas é aumentar.

OS DIREITOS DO IDOSO

A população da terceira idade é, hoje, um proeminente fenômeno mundial.
No caso brasileiro, pode ser exemplificado por um aumento da participação da
população maior de 60 anos no total da população nacional: de 4% em 1940 para 8,6% em 2000.
Nos últimos 60 anos, o número absoluto de pessoascom mais de 60 anos aumentou nove vezes. Em 1940 era de 1,7 milhão, e em 2000, de 14,5 milhões.
Projeta-se para 2020 um contingente de aproximadamente 30,milhões
de pessoas que terão mais de 60 anos [Beltrão, Camarano e Kanso (2004)].
Além disso, a proporção da população “mais idosa”, ou seja, a de 80 anos e
mais, também está aumentando, alterando a composição etária dentro dopróprio grupo.
Isso quer dizer que a população considerada idosa também está envelhecendo [Camarano et alii (1999)]. Em 2000, esse segmento foi responsável por 12,6% do total da população idosa. Tais alterações levam a uma heterogeneidade do segmento populacional chamado idoso. Por exemplo, esse grupo etário abrange um intervalo de aproximadamente 30 anos. Compreende pessoas na faixa de60 a 90 anos, que, pelos avanços tecnologicos da saúde e a redução da taxa de natalidade, é reflexo visível da população mais idosa no Brasil
. Prova disso é a participação dos idosos com 75 anos ou mais no total da população - em 1991, eles eram 2,4 milhões (1,6%) e, em 2000, 3,6 milhões (2,1%).
Os idosos são hoje 14,5 milhões de pessoas, 8,6% da população total do País, segundo oInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base no Censo 2000. O instituto considera idosas as pessoas com 60 anos ou mais, mesmo limite de idade considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para os países em desenvolvimento. Em uma década, o número de idosos no Brasil cresceu. A importância dos idosos para o País não se resume à sua crescente participação no total da população.Boa parte dos idosos hoje são chefes de família e nessas famílias a renda média é superior àquelas chefiadas por adultos não-idosos. Segundo o Censo 2000, 62,4% dos idosos e 37,6% das idosas são chefes de família, somando 8,9 milhões de pessoas. Além disso, 54,5% dos idosos chefes de família vivem com os seus filhos e os sustentam.
.
Segundo Camarano (2002), o crescimento dapopulação idosa é conseqüência de dois processos: a alta fecundidade no passado, observada nos anos 1950 e 1960,comparada à fecundidade de hoje, e a redução da mortalidade da população idosa., Por um lado, a queda da fecundidade modificou a distribuição etária da população brasileira, fazendo com que a população idosa passasse a ser um componente cada vez mais expressivo dentro da população total,resultando no envelhecimento pela base. Por outro,lado a redução da mortalidade trouxe como conseqüência o aumento
no tempo vivido pelos idosos, isto é, alargou o topo da pirâmide, provocando assim o seu envelhecimento.
O envelhecimento da população é acompanhado pelo envelhecimento do
indivíduo, de outros segmentos populacionais, como a população economicamente ativa(PEA) e as famílias...
tracking img