Serviço social e os anos 80

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 10 (2260 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 19 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal da Bahia
Instituto de Psicologia

Ana Carolina Ribeiro e Silva Lilian Almerinda Rosario dos Santos
Elizete Evelyn Bonifácio Costa Stanlley Yure Tavares Bituraldo
Karla Dourado Santos Tássio Oliveira Caldas
Laís Nascimento Conceição


Produção Científica, Tecnológica e aInterferência do Serviço Social na Década de 80

Salvador
2012

Universidade Federal da Bahia
Instituto de Psicologia

Ana Carolina Ribeiro e Silva Lilian Almerinda Rosario dos Santos
Elizete Evelyn Bonifácio Costa Stanlley Yure Tavares Bituraldo
Karla Dourado Santos Tássio Oliveira Caldas
Laís Nascimento ConceiçãoProdução Científica, Tecnológica e a Interferência do Serviço Social na Década de 80

Trabalho da disciplina: “Fundamentos
Históricos e Teóricos-Metodológicos
Do Serviço Social II”, ministrado pela
Docente Alessivânia Márcia Assunção,
como avaliação parcial do 3º semestre.

Salvador
2012
Produção científica e tecnológica na década de 80
A década de 80 foi um período deruptura, efervescência. Com o final da ditadura, as pessoas vivenciavam um clima de liberdade, além do momento de redemocratização do país. Mudanças não só no âmbito político, mas também científico e cultural.
Discutir a produção científica no Brasil é uma atividade bastante fértil, principalmente quando esse assunto se dá num contexto histórico muito movimentado, como foi a década de 80.Relacionar a ciência e a cultura com o Serviço Social, trazendo informações de como esses dois pontos influenciou a profissão nesse contexto histórico não é tarefa simples, porém é um exercício valioso e cheio de informações preciosas, principalmente porque se trata de uma fase histórica para o Brasil, a transição do autoritarismo da ditadura militar para a democracia.
A população brasileira estavafervorosa na década de 80, os manifestos do povo para com a ditadura se acentuavam, o incômodo com aquela situação que a sociedade estava submetida exalava nas pessoas e, como já foi falado no começo do texto, o autoritarismo junto com a falta de estabilidade política do país era bastante prejudicial para a ciência e afetava negativamente a produção científica e tecnológica.
A partir de 1980,a pressão popular contra a ditadura acabou influenciando o governo e deixando ele mais fragilizado, o que resultou num progresso da ciência e da tecnologia no Brasil. O Estado passou a ser mais liberal e acabou abrindo a economia ao comércio, globalizando a partir daí a economia brasileira e assim ajudou a influenciar a produção científica e tecnológica do nosso país. Entretanto, o social sofreuno sentido da viabilização e acesso a essa nova ciência que se intensificava e fortalecia, pois o governo quase não disponibilizava a esfera pública os benefícios conquistados para saúde, habitação e melhores condições de vida.
A questão social se agravava, crises na economia que se reconfigurava a favor do capitalismo em um país de caráter subdesenvolvido e de desenvolvimento tardio, que tentavaresponder internacionalmente aos países que apostavam na economia interna, onde a política social era pouco eficaz e não atendiam a demanda social. Porém, pontos importantes da evolução da ciência passam a ser notados nesse momento, como, por exemplo, a descoberta da AIDS.
Outro ponto fundamental da evolução da ciência no Brasil diz respeito às teorias cognitivas que chegaram aqui em 1960,mas somente em 1980 passam a influenciar de forma ativa no ensino de ciências, pois transmitem a ideia de que os professores não deveriam ser apenas responsáveis por passar ou transmitir informações, em outras palavras, não deveriam ser passadores de informações, mas sim, orientadores do ensino. Outra idealização importante dessas teorias diz que os alunos deveriam realizar experiências, para...
tracking img