Senso moral e etica

1. O que é senso moral? Dê alguns exemplos.
É a maneira como avaliamos nossa situação e a de nossos semelhantes segundo ideias como as de justiça e injustiça.
Exemplos: A piedade e a indignação que sentimos com a miséria mundial, mobilizados, participamos de campanhas contra a fome.
Quando fazemos alguma coisa por impulso, depois sentimos remorso, culpa ou vergonha.

2. Que é consciênciamoral?
É a consciência moral que nos exige que decidamos o que fazer, que justifiquemos para nós mesmos e para os outros as razões de nossas decisões e que assumamos todas as consequências delas.

3. A que se referem o senso moral e a consciência moral?
O senso moral e a consciência moral dizem respeito a valores, sentimentos, intenções, decisões e ações referidos ao bem e ao mal, ao desejo defelicidade e ao exercício de liberdade. Dizem respeito às relações que mantemos com os outros.

4. Qual o principal pressuposto do senso moral e da consciência moral? Por quê?
O senso e a consciência morais têm como pressuposto fundamental a ideia de liberdade do agente. Poruqe os sentimentos e as ações morais dependem de nós mesmos, que nascem de nossa capacidade de avaliar e decidir por nósmesmos e não levados por outros ou obrigados por eles.

5. Que é um juízo de fato? Dê exemplos.
Juízo de fato é um acontecimento constatado por nós.
Exemplos: "Está chovendo."
"Ela está chorando."

6. Que é um juízo de valor? Dê exemplos.
Juízos de valor avaliam coisas, pessoas, ações, experiências, acontecimentos, sentimentos,
estados de espírito, intenções e decisões como bons e maus,desejáveis ou indesejáveis. Não
se limitam a dizer que algo é ou como algo é mas se referem ao que algo deve ser. Por
exemplo, “a chuva é boa para as plantes”, “comer demais faz mal”, “crianças estão brincando
com coisa séria”.

7. Por que os juízos de valor são normativos?
Os juízos de valor são normativos porque enunciam normas que dizem como devem ser os
bons sentimentos, as boasintenções e as boas ações, e como devem ser as decisões e ações
livres. Em outras palavras, são normas que determinam o dever ser de nossos sentimentos,
nossos atos, nossos comportamentos. São por isso juízos que enunciam obrigações e avaliam
intenções e ações segundo o critério do correto e do incorreto.

8. Qual a origem da diferença entre juízo de fato e juízo de valor? Explique.
Aorigem da diferença entre juízos de fato e juízos de valor é a diferença entre natureza e
cultura.

9. O que é naturalização da vida moral? Por que ela acontece?
A naturalização da vida moral ocorre quando não notamos a origem cultural dos valores
morais, do senso moral e da consciência moral porque somos educados para eles e neles,
como se fossem naturais ou fáticos, existentes em sipor si mesmos. Isso acontece porque,
para garantir a manutenção dos padrões morais através do tempo e sua continuidade de
geração a geração, as sociedades tendem a naturalizá-los, isto é, a fazer com que sejam
seguidos e respeitados como se fosse uma segunda natureza.

10. Explique o sentido das palavras moral e ética.
Moral vem de uma palavra latina, mos, moris, que quer dizer “ocostume”, e no plural, mores,
significa “os hábitos de conduta ou de comportamento instituídos por uma sociedade em
condições históricas determinadas”. Da mesma maneira, a palavra ética vem de duas palavras
gregas: éthos, que significa “o caráter de alguém” e êthos, que significa “o conjunto de
costumes instituídos por uma sociedade para formar, regular e controlar a conduta de seusmembros”

11. Por que a ética condena e proíbe a violência.
Todo ato de violência reduz o ser humano de sujeito a objeto. Entretanto, do ponto de vista
ético, somos pessoas e não podemos ser tratados como coisas, isto é, como seres inertes,
irracionais, destituídos de linguagem e de liberdade. Os valores éticos se oferecem, portanto,
como expressão e garantia de nossa condição de seres...
tracking img