Seminario

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2031 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA – FAVIP
CURSO: ENFERMAGEM – 7º PERÍODO
DISCIPLINA: GESTÃO EM ENFERMAGEM
PROFESSORA: ROSA RÉGIA DE SOUZA MEDEIROS











ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE EMERGÊNCIA:

NORMAS E ROTINAS.





Andreza Layne Coelho Santos
Cássia Cibele Araújo
Cristiano Santos Lima
Jacklanne Michelle Sobral de BarrosMaria Luciana da Silva
Marta Michelle Tenório da Silva





CARUARU / PE
2011
Andreza Layne Coelho Santos
Cássia Cibele Araújo
Cristiano Santos Lima
Jacklanne Michelle Sobral de Barros
Maria Luciana da Silva
Marta Michelle Tenório da Silva










ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE EMERGÊNCIA:

NORMAS E ROTINAS.Trabalho apresentado a Faculdade do Vale do Ipojuca – FAVIP, pelos acadêmicos do 7º Período de Enfermagem, sob orientação da Profª. Enfª. Rosa Régia de Souza Medeiros, para fins avaliativos da disciplina Gestão em Enfermagem.







CARUARU / PE
2011
SUMÁRIO

|1 |INTRODUÇÃO............................................................................................................|03 |
|2 |NORMAS E ROTINAS DO ENFERMEIRO NA UNIDADE DE | |
| |EMERGÊNCIA............................................................................................................. |04 |
|3|CONCLUSÃO.............................................................................................................. |09 |
|4 |REFERÊNCIAS............................................................................................................ |10 |



























1 INTRODUÇÃO


A enfermagem ao longo do tempo só veio a contribuir, trazendo uma série de pontos positivos no que tange a atuação frente às unidades deemergência, dentre eles, chama-se atenção a utilização dos cuidados e intervenções apropriadas para com os traumas e procedimentos complexos oriundos da mesma, atuando de forma eficaz no controle da sistematização da assistência e no gerenciamento de sua equipe. Toda essa prática associada a uma análise crítica de todos os parâmetros e conhecimento científico, contribui para a construção de um diagnósticofidedigno, trazendo benefícios ao enfermeiro, a equipe em geral, o paciente e seus familiares que de alguma forma estão presentes, na maioria das vezes.

Uma unidade de emergência é permeada de condições complexas inerentes ao próprio ambiente e aos seres humanos, que cuidam e são cuidados, que experienciam e vivenciam as também complexas relações humanas no processo de cuidar/cuidado, emum sistema organizacional hospitalar.
De acordo com BAGGIO, GALLEGARO & ERDMANN 2009, no que tange o cuidado que foca apenas órgãos, patologias, sinais e sintomas clínicos, a relação e interação profissional/paciente acaba prejudicada. Considera-se que o cuidado deve ir além da visão biológica e biomédica, de modo a integrar as diversas unidades e multiplicidades dos seres. As ações doprofissional de enfermagem em uma unidade de emergência precisam ser eficientes e eficazes, contudo, precisam valorizar também a subjetividade do ser humano.
Pode-se considerar que a maior fonte de satisfação no trabalho do enfermeiro em unidade de emergência concentra-se no fato de que as suas intervenções auxiliam na manutenção da vida humana. Como principais estressores,pode-se determinar os seguintes itens: número reduzido de funcionários compondo a equipe de enfermagem; falta de respaldo institucional e profissional; carga de trabalho; necessidade de realização de tarefas em tempo reduzido; indefinição do papel do profissional; descontentamento com o trabalho; falta de experiência por parte dos supervisores; falta de comunicação e compreensão por parte da...
tracking img