Semana de arte moderna

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1726 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo I
A Semana de Arte Moderna
1.1 – Periodização da Semana de Arte Moderna
Segundo o escritor Graça Aranha, participante da Semana de Arte Moderna, esse evento seria a oportunidade de todos os artistas mostrarem seus trabalhos sem a preocupação sobre a opinião da crítica literária da época, ou seja, o artista irá expor sua visão de mundo sem temer o julgamento das outras pessoas, apenaspreocupar-se-iam com suas satisfações e ambições artísticas.

O nosso julgamento está subordinado aos nossos variáveis preconceitos. O gênio se manifestará livremente, e esta independência é uma magnífica fatalidade e contra ela não prevalecerão as academias, as escolas, as arbitrárias regras de nefando bom gosto, e do infecundo bom senso. Temos que aceitar como uma força inexorável a artelibertadora. 1

Ainda, na tentativa de definir o que foi a Semana de Arte Moderna, citar-se-á um trecho de Paulo Prado que descreveu este evento como sendo um marco muito importante para o início da produção de uma literatura tipicamente e com características brasileiras, foi a partir da Semana de Arte Moderna que, segundo PRADO (1924), a literatura brasileira se desenvolveu.

A Semana de ArteModerna foi o primeiro protesto coletivo que se ergueu no Brasil contra estes fantoches do passado... Assim iniciou o grupo de Arte Moderna a obra de saneamento intelectual que tanto precisávamos. 2

De acordo com BARBOSA (2005) a Semana de Arte Moderna aconteceu em 1922, no mês de fevereiro desse mesmo ano, mais precisamente nos dias 13, 15 e 17, o local foi o Teatro Municipal da cidade de SãoPaulo, o evento ocorreu com a participação de vários artistas plásticos, arquitetos, músicos e escritores. A Semana de Arte Moderna se inicia no dia 13 a prolonga até o dia 17 de fevereiro de 1922, com alguns dos eventos abaixo citados:
13. Fevereiro. 1922 — A Semana de Arte Moderna é inaugurada no Teatro Municipal de São Paulo com palestra do escritor Graça Aranha, ilustrada por comentáriosmusicais e poemas de Guilherme de Almeida.
15. Fevereiro. 1922 — A noite que celebrizou a semana começa com um discurso de Menotti Del Picchia sobre romancistas contemporâneos, acompanhado por leitura de poesias e números de dança.
17. Fevereiro. 1922 — A última noite da programação é totalmente dedicada à música de Villa-Lobos.
De acordo BOSSI (1994) a principal meta dos organizadores dessaSemana era a renovação do ambiente artístico primeiramente de São Paulo. Os participantes queriam que os artistas brasileiros (artistas plásticos, escritores, arquitetos e músicos) produzissem obras que tivessem as características baseadas nas riquezas de seu país, a arte brasileira seria, segundo os participantes, afinada a partir das tendências europeias e não uma cópia das produções feitas naEuropa. Os organizadores principalmente, os escritores, propunham que o caráter nacionalista das produções brasileiras não poderia se perder ao alongo dos tempos, e sim as obras aqui produzidas deveriam valorizar as principais riquezas do Brasil.
Conforme COUTINHO (2004), houve vários participantes da Semana de Arte Moderna em 1922, porém, podem-se destacar, em suas respectivas áreas:
Naliteratura: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti del Picchia, Ronald Carvalho, Manuel Bandeira, entre outros.
Na música: Villa-Lobos, Guiomar Novais, Ernani Braga, entre outros.
Na pintura e arquitetura: Anita Malfatti, Zina Aita, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral, Victor Brecheret, entre outros.
De acordo com COUTINHO (1997), anteriormente a Semana de 22, aconteceram fatos quetiveram grande influência nos objetivos a desenrolar nos eventos da mesma.
1911— Oswald de Andrade funda o periódico "O Pirralho"
1912 — Oswald chega da Europa com outros conhecimentos: novas formas de expressão artística, como as de Paul Fort e as sugeridas pelo "Manifesto Futurista" do poeta italiano Marinetti.
1913 — Exposição do pintor Lasar Segall em Campinas.
1915 — O poeta Ronald de...
tracking img