Seguros multiriscos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 35 (8747 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

No âmbito da disciplina de Teoria de Seguros foi-nos proposto explorar os Seguros Patrimoniais, seguro de incêndio e elementos da natureza. Começamos com uma breve introdução histórica dos mesmos, dando a noção do significado de Incêndio. Numa fase seguinte examinamos os seus riscos, classificando-os e quantificando-os.
Estudamos também as regras especiais de tarifa em que estáinerente os seguros temporários, prémios, cálculos de prémios, fraccionamento de prémios e indemnizações.
Por ultimo abordamos o sinistro, em caso de concretização do risco qual o procedimento, o que se encontra abrangido pelo seguro e modo de pagamento das indemnizações.
Com este trabalho pretendemos compreender o funcionamento desta modalidade de seguro


Breve Encadeamento Histórico


Em1666, um gigantesco incêndio deflagrou sobre a capital inglesa.
Durante quatro longos dias, Londres ficou completamente devastada, destruindo cerca de 13000 habitações, 89 igrejas e a catedral de S. Paulo. Devido a esta grande catástrofe, tornou-se necessário a criação de um seguro de incêndio. Um ano depois, é criado em Inglaterra o “Fire Office”, que funcionava como uma espécie de um serviçopúblico para prevenção contra incêndio, que estava a cargo dos municípios. Por outro lado surgem também companhias de seguros com intuito de cobrir os riscos de incêndio.
Em 1684 surge em Londres a primeira companhia de seguros “contra incêndio de casas”. Ao longo dos anos foi surgindo cada vez mais a necessidade de criar e desenvolver um seguro de incêndio mais completo. A Fidelidade foi a primeiracompanhia a criar um seguro de incêndio aproximado aos existentes.


















Incêndio

Definição:
De acordo com a actividade seguradora incêndio pode-se definir como o fogo que se propaga ou se desenvolve com intensidade que provoca a destruição de bens materiais, causando prejuízos ou danos.
Seguem da definição as seguintes observações:
Para que fica caracterizadoa ocorrência de incêndio, para fins de seguro, não basta que exista fogo, é necessário:

• Que o fogo se alastre, se desenvolva, se propague:
• Que ocorra em local indesejado ou não habitual;
• Que o fogo cause danos;

Para fins de seguro não é considerado incêndio:

• Objectos que já por si estejam ligados à acção directa ou indirecta do fogo;
• Objectos susceptíveis de combustãoespontânea, aquecimento ou fermentação;
• Objectos que provoquem por defeito um dano eléctrico.

Embora estes pontos a cima referidos não sejam considerados incêndio para fins de seguro, podem ser ressarcidos através da contratação de coberturas adicionais.








Caracterização dos Riscos

Os riscos podem ser caracterizados quanto:

1. À sua função;
2. À sua localização;
3. Àsua construção.


1. Quanto à sua função;
Os riscos podem-se subdividir em várias classes diferentes, tais como:

HABITACIONAL
Edifícios ou recheios de habitação independentemente do seu valor.

PROFISSIONAL
Riscos destinados exclusivamente a actividades profissionais (comercial, industrial, ou profissão liberal). O risco profissional divide-se em; Normais ou Agravantes.
Os Normais sãoaqueles que pela sua própria natureza não se consideram que produzam qualquer agravamento do risco.
Os agravantes são todos aqueles em que a utilização dos materiais, agravam o risco considerado normal.

RURAL
Estão relacionados com as explorações agrícolas desde que as mesmas, relativamente à sua dimensão, não possam ser considerados riscos industriais.





Classificação dos RiscosDefinição de Riscos Simples
Entendem-se por riscos simples, de acordo com o ramo de incêndio e elementos da natureza, os riscos cujo objecto do seguro é constituído por edifícios e que contenham as funções pré estabelecidas (função habitacional, profissional e a rural), contendo as seguintes funções:

• € 250.000 para os riscos de função profissional agravante e riscos de função rural;

•...
tracking img