Saude do idoso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1323 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FEMA PROFESSORA : LUCIANA GONÇALVES CARVALHO

Curso: 2º ano Disciplina :

Enfermagem Noturno Nutricão

•Apostila: Nutrição e envelhecimento

NUTRIÇÃO E ENVELHECIMENTO

NUTRIÇÃO NO CICLO DA VIDA Profª Luciana Gonçalves Carvalho

CONCEITO DE ENVELHECIMENTO OPAS (Organização Pan-americana de Saúde)

“Envelhecer é um processo seqüencial, individual, acumulativo, irreversível,universal, não patológico, de deterioração de um organismo maduro, próprio a todos os membros de uma espécie, de maneira que o tempo o torne menos capaz de fazer, frente ao estresse do meio-ambiente e portanto aumente sua possibilidade de morte”.

Introdução
  da expectativa de vida vem gerando mudanças na distribuição etária da população mundial Expansão da % de idosos. O Brasil e os demaispaíses em desenvolvimento apresentam taxas elevadas de crescimento dessa população Crescente campo de pesquisa e atuação na área de nutrição.

Introdução
 Brasil (IBGE, 2000)  Hoje  15 milhões de idosos (8,6%)  Nos próximos 20 anos  número de idosos poderá ultrapassar 30 milhões (13%)

Enquanto que em 1980 = 6,1% População maior ou igual a 60 anos.

Introdução
 DESNUTRIÇÃO
• Anemia •Comprometimento da imunidade, infecções • Fratura de fêmur • Fadiga, fraqueza muscular • Edema • Úlceras de pressão

Introdução
 OBESIDADE
• HAS, Dislipidemias, DAC • Resistência à insulina e DM • Gota • Apnéia do sono • Osteoartrite • Úlceras de pressão • CA (útero, mama, ovário; próstata e colon) • Declínio funcional

Introdução
Risco de mortalidade Grau de dependência e incapacidadeRisco de morbidade

Capacidade imunológica

Estado Nutricional do Idoso

Estado funcional Condição social e psicológica

Tempo de convalescença em doenças agudas

ENVELHECER COM QUALIDADE DE VIDA
• Envelhecer não é sinônimo de se tornar doente, mas trata-se de um processo fisiológico normal. • O que não é normal é se tornar um idoso doente! • SE DESEJAMOS ALCANÇAR A MAIOR LONGEVIDADEPOSSÍVEL COM SAÚDE; O PAPEL DE UMA ADEQUADA ALIMENTAÇÃO É INDISPENSÁVEL!

Introdução
 Grande desafio para sociedade atual:

CMI

Manter a qualidade de vida e a saúde em uma população em processo de envelhecimento.

Envelhecimento x Alimentação e Nutrição

CMI

CMI

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Redução na Taxa de Metabolismo Basal: Possíveis causas Alterações na composição corporal;  Redução na atividade física

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Redução na Taxa de Metabolismo Basal: Alterações na composição corporal:  Após os 40-50 anos:
 massa muscular,  massa óssea,  água corporal

 Até 70 anos:
 progressivo do peso ( gord. corporal)

 Após 70 anos:  peso

Alterações anatômicas efuncionais comuns do envelhecimento
 Redução na Taxa de Metabolismo Basal: Principais conseqüências alimentares/nutricionais  Necessidade energética menor

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Redução da Massa Muscular: Possíveis causas

 Redução na atividade física
CMI

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Redução da Massa Óssea: Possíveiscausas  Aumento na excreção renal de Ca;  Redução na absorção intestinal de Ca; Menor ingestão de alimentos fontes de Ca Principais conseqüências alimentares/nutricionais  Osteoporose

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Menor capacidade de controle da homeostase da água: Possíveis causas   da água total do corpo (40 a 50% do peso corpóreo), em decorrência da de massa muscular e  de tecido adiposo; Declínio na capacidade de concentração da urina  Redução na sensação de sede.

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Menor capacidade de controle da homeostase da água: Principais conseqüências alimentares/nutricionais  Desidratação

Alterações anatômicas e funcionais comuns do envelhecimento
 Menor Capacidade...
tracking img