Sadia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1589 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MICROECONOMIA II 1E108

(2011-12)

29-02-2012

João Correia da Silva (joao@fep.up.pt)

1.
1.1. 1.2. 1.3. 1.4.

A EMPRESA
Tecnologia de Produção. Minimização do Custo. Análise dos Custos. Maximização do Lucro.

2

CUSTO DE OPORTUNIDADE

O conceito de custo que é relevante para a tomada de decisão é o custo de oportunidade, que traduz o valor de um recurso na sua melhorutilização alternativa.

Exemplo: Ao cultivar o seu próprio terreno, um agricultor perde a oportunidade de receber uma renda. Ao gerir a sua própria empresa, um empresário perde a oportunidade de receber um salário pelo seu trabalho.

3

DECISÕES E CUSTOS

Nas suas decisões de produção, a empresa deve ter em conta a tecnologia disponível (função produção) e os preços dos factores produtivos.

Como objectivo final de maximizar o lucro, a empresa vai tentar minimizar o custo de produção.

O custo total é, simplesmente, dado por:

CT = pK K + pL L.

4

LINHAS DE ISOCUSTO

Uma linha de isocusto é formada pelo conjunto de combinações de factores produtivos que têm o mesmo custo total, dados os preços dos factores.

pK K + pL L = CT0 ⇒ ⇒ K CT =CT
0

CT0 pL = − L pK pK

5 LINHA DE ISOCUSTO

As linhas de isocusto são rectas cuja inclinação é dada pelo rácio entre os preços dos factores.

K
CT2 pK CT1 pK

K CT =CT
CT=CT2

0

CT0 p L = − L pK pK

CT0 pK

CT=CT1

declive = −

pL pK

CT=CT0

CT0 p L

CT1 pL

CT2 p L

L
6

LINHA DE ISOCUSTO
O valor absoluto do declive da linha de isocusto representa os termos de troca entre factores nomercado. Se o rácio entre os preços dos factores for igual a 0.5, a empresa pode trocar 2 unidades de trabalho por 1 unidade de capital, mantendo o custo total constante.

K

CT0 p K
∆K=1 CT=CT0 ∆L=-2 declive = −

pL = −0.5 pK

CT0 p L

L
7

LINHA DE ISOCUSTO

A um custo total superior estão associadas linhas de isocusto paralelas, mas mais afastadas da origem.

K
2CT0 p KCT=2CT0

CT0 p K
CT=CT0

pL declive = − pK

CT0 p L

2CT0 p L

L
8

AUMENTO DO PREÇO DO CAPITAL

Um aumento do preço do capital diminui a ordenada na origem, tornando a isocusto menos inclinada.

K
CT0 p K CT0 p K '

declive = − CT = CT0

pL pK
pL pK '

declive = − CT ' = CT0

CT0 p L

L
9

AUMENTO DO PREÇO DO TRABALHO

Um aumento do preço do trabalho diminui aabcissa na origem, tornando a isocusto mais inclinada.

K
CT0 p K

declive = − CT = CT0

pL pK

pL ' declive = − pK

CT ' = CT0
CT0 pL ' CT0 p L

L
10

MAXIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO
Suponhamos que a empresa pretende maximizar o volume de produção, fixando um determinado nível de custo (CT0). Entre as combinações de capital e trabalho que pertencem à curva de isocusto correspondente, aempresa deve seleccionar aquela que maximiza a quantidade produzida.

K

max{ Q( K , L) } s.t. pK K + pL L = CT0 .
CT = CT0

L
11

MAXIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

Desenhando a linha de isocusto no mapa de isoquantas, podemos observar qual a combinação de capital e trabalho que maximiza a produção, para um dado custo CT0.

Q = 20

ineficiente Q = 25 óptimo Q = 30 inatingível

K

CT0pK

Q = 30 Q = 25 Q = 20

CT0 p L

L
12

MAXIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

No ponto óptimo, a linha de isocusto é tangente à isoquanta que corresponde à produção máxima (desde que o ponto óptimo seja interior e as isoquantas sejam diferenciáveis – suaves).



p L dK = pK dL

ISOQ

O declive da isoquanta é igual à taxa marginal de substituição técnica, que por sua vez é igual aoquociente entre as produtividades marginais dos factores.

pL dK =− pK dL

ISOQ

PMg L = TMST = PMg K
K L
13

MAXIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

Assim, no ponto óptimo, o quociente entre os preços dos fatores é igual ao quociente entre as suas produtividades marginais.

K

pL PMg L = pK PMg K

CT0 pK

Q = Qmax
CT0 p L
L

CT0

14

MAXIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

Visto de outra forma, a...
tracking img