Rubens Alves

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1134 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de outubro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Estadual do Centro Oeste
Departamento de Ciências Biológicas-DEBIO
Eraldo Pereira
Rubens Alves
FILOSOFIA DA CIÊNCIA
Introdução ao jogo e suas regras
Guarapuava
2014
INTRODUÇÃO:
O objetivo deste trabalho é buscar caracterizar a concepção de ciênciaapresentada pelo autor do livro FILOSOFIA DA CIENCIA, buscando entender a diferenciação entre ciência e senso comum, sendo que a existência da ciência se da ao senso comum, como a ciência é uma forma de modelar e ordenar o mundo, os enigmas científicos e as credências da ciência, sendo que o autor não define a expressão de cada de forma direta, mas propõe pequenas situações que instigam o leitor a refletirsobre oque acabou de ler.
CIÊNCIA E SENSO COMUM
O livro de Rubens Alves ”Filosofia da Ciência: introdução ao jogo e a suas regras” propõe uma nova maneira de olhar e analisar o que é ‘‘ciência”, tendo em vista que é preciso entender e até desmistificar ideias pré-concebidas sobre a ciência e os cientistas, que muitas vezes são equivocadas, pois como afirma o autor, ‘’todo mito éperigoso porque induz o comportamento e inibe o pensamento’’.
Inicialmente Alves faz uma comparação entre ciência e senso comum defendendo que não há inferioridade de um em relação ao outro, pois os dois são expressões da mesma necessidade básica, ou seja, a necessidade de compreender o mundo em busca da ordem. Porém, ele apresenta visões de ordem distintas uma da outra, onde explica a pretensãode cada uma, prova disso o trecho onde ele diz que o cientista virou um ‘’mito’’, ou seja, o cientista é uma pessoa que pensa melhor do que qualquer outra pessoa, onde ele pede para nos fecharmos os olhos e pensar em um cientista, a primeira imagem que vira na mente é de uma pessoa diferente com varias coisas esquisita onde só ele ira entender para que sirva e como utilizar, ou até mesmo um loucoque se isola e busca entender, e até mesmo recriar qualquer coisa já vista no ‘’mundo’’. Só que isso tudo, se da por imagens que a mídia nos coloca para representar o cientista com superior aos outros, ou que o cientista faz parte de uma classe especializada em pensar de maneira correta, sendo assim, o que nos resta é simplesmente fazer o que eles mandam o que é uma prova clara de senso comum.Mas o autor ao mesmo tempo acaba com esse mito nesse trecho:

’’Antes de mais nada é necessário acabar com o mito de que o cientista é uma pessoa que pensa melhor do que as outras. O fato de uma pessoa ser muito boa para jogar xadrez não significa que ela seja mais inteligente do que os não-jogadores. Você pode ser um especialista em resolver quebra-cabeças. Isto não o torna maiscapacitado na arte de pensar’’.
Ele explica que todo mito é perigoso, já que induz o comportamento e inibe o pensamento. Segundo Alves, deve-se atentar para o que a ciência mostra, pois o que ela revela como certeza é apenas pequenos fragmentos do real que são estudados e nada mais. Seria como a imagem de uma casa com uma linda árvore do lado rodeada por uma grama verde. Algumas pessoas aoanalisar essa imagem vai ver melhor a árvore, outras a casa, enfim os cientistas são especialistas de uma única técnica, eles apenas reduzem o mundo em apenas um pequeno fragmento da área que ele se especializou como mostra o exemplo apresentado pelo autor do pianista, que se especializa em uma única técnica, caracterizando uma forma de ciência.
Mas a ciência depende totalmente do senso comum, poisela uma forma de refinamento do mesmo. Ela não consegue ter uma visão ampla de tudo, foca apenas em um fragmento retirado do senso comum através de técnicas e estudos mais rigorosos, como afirma Rubens Alves ‘’ pode-se afirmar que só se pode ensinar e aprender partindo do senso comum que possuímos’’.
No processo de evolução, a humanidade acumulou saberes que foram sistematizados como...
tracking img