Roubo de cargas em sao paulo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5650 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O transporte rodoviário de cargas é responsável por aproximadamente 61% da quantidade dos bens transportados no Brasil. Os valores e tipos das mercadorias transportadas atraem, constantemente, o interesse de quadrilhas especializadas em roubo de carga. Com o passar do tempo, os assaltos se tornaram um problema de segurança pública. O problema de infra estrutura de transportes nopaís, destacando as condições precárias de estradas e rodovias, afeta os modais de transportes e tem sido responsável por custos logísticos elevados. O transporte rodoviário apresenta-se como o mais representativo para distribuição de cargas, alcançando todo o território, embora sofra um tanto mais com os problemas estruturais, dentre os quais se destaca a insegurança das vias públicas, marcada porassaltos a caminhões de carga. Nesse trabalho de pesquisa, serão apresentados dados informativos a respeito do roubo de cargas, em especial no Estado de São Paulo, onde se concentra a maior parte dos negócios financeiros do país e alguns pontos preponderantes que servem para motivar o aumento do crime de roubo de cargas e o que os setores públicos e privados tem feito para amenizar o problema.TRANSPORTANDO CARGAS RODOVIÁRIAS O transporte de cargas é parte fundamental na movimentação da economia do país, criando importante elo entre produção e consumo, sendo na atualidade função essencial ao Supply Chain, ou cadeia de suprimentos, tendo significativa participação no custo final dos produtos. Calcula-se que o transporte represente algo em torno de 60% dos custos logísticos. No Brasil, omodal mais utilizado na atividade logística e mais solicitado para transporte e distribuição de cargas é o rodoviário, devido à sua flexibilidade, agilidade e capacidade de chegar a qualquer localidade ou ponto de entrega, em todo o território

3

nacional. É o único com condição de atender ao serviço porta a porta, de maneira que nenhum carregamento e descarregamento seja exigido entre origeme destino, como disponibilidade em relação aos outros, sem depender de escalas e programação de saídas e chegadas do ponto de origem ao ponto de destino. O transporte rodoviário é utilizado de forma maciça dentre a matriz brasileira de transporte, contudo, o setor rodoviário sofre com as condições precárias de infra estrutura do país, são problemas relacionados ao mau estado de conservação dasrodovias, aos altos índices de acidentes, avarias, greves e à insegurança das vias, o que acarreta o crescente custo operacional do transporte. A situação fica pior diante do envelhecimento da frota de veículos de transporte rodoviário que possui uma idade média de 14,6 anos, considerada alta se comparada com a idade média de sete anos da frota norte-americana. Veículos com idade tão avançada estãodeteriorados, além da falta de manutenção, o que expõe os motoristas a acidentes. Dados da Policia Rodoviária Federal apontam que a cada cinco minutos ocorre um acidente com veículo de carga no Brasil. Os custos do transporte rodoviário de cargas têm sido impactados por problemas como a idade média da frota e seus seguidos acidentes que sofrem influencia, também, das péssimas condições das estradasdo país e tem havido nos últimos anos uma alta destes custos relacionados ao roubo de cargas, que preocupa a entidades privadas e publicas.

O ROUBO DE CARGAS NO ESTADO DE SÃO PAULO A insegurança nas rodovias do país constitui um problema grave e que mereceu maior atenção por parte das empresas a partir da década de 80, com o aumento de ocorrências de roubos de cargas, que por consequênciatrouxe aumento significativo dos custos logísticos e a redução no desempenho do setor de transporte e distribuição. Dados de 2008, divulgados pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), registram, naquele ano, 12,5 mil ocorrências de roubo de cargas no território brasileiro, assim distribuídas: 2,18% na região Norte; 2,23% no Centro-Oeste; 7,81% na região Sul,...
tracking img