Rota da cortica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1790 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Mais do que um percurso

uma história

• Onde?

São Brás de Alportel

• Quando?

Candidatura ao PROalgarve- 2006
Inauguração da Rota- 2008

• Quem?

Membros Associados
Autarquia de São Brás de Alportel, a Associação de Industriais e
Exportadores de Cortiça (AIEC- Sul), a Associação de Agricultores de
S. Brás de Alportel, a Associação de Produtores Florestais da Serra
doCaldeirão, a Santa Casa da Misericórdia de S. Brás de Alportel
Associação In Loco e a Região de Turismo do Algarve (RTA).

Associação Rota da Cortiça

Objectivos Gerais
Contribuir para o desenvolvimento sustentável da Serra Algarvia.
Atenuar assimetrias regionais;
Promover, divulgar o Barrocal e a Serra;
Tornar este território num destino turístico de qualidade;
Estimular o desenvolvimento deactividades económicas.

Associação Rota da Cortiça

• A Rota da Cortiça é um
produto turístico - cultural
com forte componente
ambiental.
• Apresenta-se como um
projecto âncora
que
assenta numa temática
bem definida: visitar toda
a fileira da cortiça, desde
o
sobreiral
até
às
fábricas.

• A Rota da Cortiça, segue a linha
de um espaço patrimonial
temático, onde aidentidade e
autenticidade são assumidas
como princípios fundamentais;
• Diferencia-se
em
múltiplas
vertentes,
através
do
enquadramento
no
roteiro
turístico-cultural da visita a
recintos industriais corticeiros
que se encontram ainda em
plena laboração.

Associação Rota da Cortiça
Porquê?
A Cortiça é um elemento de extrema importância no
interior algarvio;
Aumento da procura deturismo cultural e natural no
interior algarvio;
São Brás de Alportel reúne as condições únicas e bastante
específicas devido à implantação de dezenas de fábricas desde
o séc XIX.
Complementa/alternativa à oferta turística de sol e mar.

Integra o roteiro à Rota da
Cortiça:
• Museu do Trajo do Algarve, onde
foi concebida uma sala que
apresenta alguns dos processos
ligados
à
preparação
etransformação da cortiça
• Visita a uma fábrica preparadora
de cortiça onde a cortiça é
trabalhada de forma tradicional;
• Fábrica transformadora de cortiça
onde se contacta com o processo
de produção de discos de cortiça
para realização de rolhas.

Ao longo de um ano (2007/2008) materializou-se a Rota da Cortiça:

Criação da imagem-chave e do slogan

Definição dos Pólos TemáticosSelecção dos locais a visitar: sobreirais, quintas do barrocal, unidades industriais de
preparação e de transformação;

Rota da Cortiça

•Através de um itinerário guiado e
interpretado dividido em seis diferentes
pólos temáticos da-se a conhecer a Rota da
Cortiça: Património, Natureza Vida Rural,
Tradição, Inovação e Conhecimento;
•Pretende-se sensibilizar os visitantes para
asalvaguarda e valorização do sobreiral e
toda a fileira da cortiça destacando-se a sua
importância em termos de ecossistema e
espécies dele dependentes.

Itinerário Geral

• A Rota da Cortiça assenta na
valorização de uma matéria-prima
nobre que dignifica a história e
passado cultural do concelho e
imprime no visitante a ideia de
sustentabilidade e património a
salvaguardar;
• Promovemose valorizamos o sobreiro
e fileira da cortiça tão associada ao
interior
algarvio,
do
qual
as
populações rurais de S. Brás de
Alportel, ainda subsistem.

Inovação da Oferta
• Num Algarve que propõe aos seus turistas
estrangeiros e nacionais o pacote "sol e praia",
o surgimento de um produto turístico como a
Rota da Cortiça constitui um mais-valia para o
turismo de interior (barrocale serra
algarvias/zonas de baixa densidade) e fomento
das actividades locais.
• Valorização das práticas sustentáveis e ligadas
à natureza.

Inovação da Oferta (Cont.)
• Os visitantes podem visitar
as fábricas de cortiça em
plena laboração e conhecer
os processos tradicionais de
trabalho da cortiça em
prancha constitui uma
cadeia de valor ao projecto.

Uma viagem ao mundo da...
tracking img