Rosenfeld, anatol. shakespeare e o pensamento renascentista. in: texto contexto. são paulo: perspectiva, 1969. p. 123-45.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1818 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A – Considerações Gerais:
1. Em Texto/Contexto também são encontrados textos sobre: reflexões estéticas (teatro agressivo; grotesco; romance moderno; psicologia profunda e crítica); romantismo alemão, Schopenhauer, Mário de Andrade e o cabotinismo, Thomas Mann, Kafka e Augusto dos Anjos.
2. No prefácio, pelo próprio ROSENFELD: O tema da “máscara” é tomado como “guia” geral dessaobra. “A vida impõe ao indivíduo uma forma fixa, tornada máscara.” (p. 12); “[Com base em Nietzsche,] “As verdades são ficções de que se esquece que o são, metáforas gastas, moedas que perderam a sua imagem”. (p. 15)
3. Reler As palavras e as coisas, de Michel Foucault, para uma melhor compreensão do início do texto de Rosenfeld.
4. Ver fichamentos de Harold Bloom. For considerations onDEATH (p. 733-734)
5. In Bloom’s book, The tempest is placed in Part IX – “The late romances”
6. In BLOOM: The Faustic lineage starts with Simon Magus, who changed names – to Faustus – when he went to Rome. “In a contest with Christians, this first Faustus attempted levitation, and crashed down to his death. Most subsequent Fausts sell out to the Devil, and pay with spirit, thegrandest exception being Goethe, for his Faust’s soul is borne off to heaven by little boy angels whose chubby buttocks so intoxicate Mephistopheles with homoerotic lust that he notices too late the theft of his legitimate prize. (…) Simon Magus was, like Jesus the Magician, a disciple of John the Baptist, and evidently resented that he was not preferred to Jesus, but again we have only Christianaccounts of this.” (p. 667-668). [Christopher Marlowe’s Dr. Faustus; Ferando Pessoa’s; …]
7. Mirella considera COMPAGNON, ou melhor, seus leitores em geral, um deserviço para a área de literatura.
8. Quanto mais mimese, mais literário, mais literariedade (formalistas russos)

Idade Média e Renascimento
Quem pretendesse apreender, numa fórmula filosófica simplificada, a transformaçãoque se verifica na passagem da Idade Média para a Era Moderna, sentir-se-ia tentado a dizer que o pensamento tende a tornar-se, de um modo crescente, nominalista. Na Idade Média prepondera o realismo conceitual ou das universálias (...).
O realismo conceitual liga-se intimamente à visão hierárquica da Idade Média. (...) A perfeição diminui na escala descendente dos arcanjos, anjos, serafins equerubins até os organismos terrenos e materiais (...). Quanto mais distantes os entes se encontram do primeiro princípio, fonte de todas as coisas, tanto menor é seu valor e a plenitude de seu ser. Este pensamento neo-platônico impregna profundamente todas as concepções medievais, embora não corresponda exatamente à filosofia oficial.
Dificilmente se admitiria a idéia de que o poder emana de baixo(do povo). Ele se propaga de cima, dos mais elevados representantes de Deus. (...) // Essa visão hierárquica é, evidentemente, teocêntrica. Deus é o centro do ser e de todas as cogitações. (...) Decorre daí a harmonia universal de uma ordem em que não há lugar para o trágico. O universo medieval é um universo “explicado”
O malfeitor condenado ao fogo eterno não é figura trágica; sofre apenas ocastigo que lhe cabe. Tampouco é trágico o martírio do santo. Com seu sacrifício cumpre um destino excelso para maior glória de Deus. Nem pode ser trágica a paixão de Jesus: Deus não é personagem de tragédia, nem mesmo na sua condição humana.
Segundo o nominalismo, somente às coisas individuais, temporais, deve ser atribuída plena realidade. (...) Os conceitos são apenas recursos mentais com queclassificamos de modo econômico a multiplicidade dos seres reais. É bem visível que ao nominalismo se liga uma valorização muito maior do individual, do mundo temporal.
O teatro e a cosmovisão
Essa simultaneidade [do palco medieval que se decompõe juntamente com o essencialismo medieval, expressado no avanço do nominalismo] é expressão de um pensamento que concebe a sucessão temporal como...
tracking img