Romantismo em Portugal - Conclusão

O Romantismo floresceu em todos os países ocidentais. Em Portugal, a tendência se desenvolveu a partir de 1836, nessa época o país passava por uma profunda crise econômica, políticae social.
A situação do país se agravava com a invasão napoleônica e a independência econômica do Brasil, em 1820, iniciou-se uma revolução liberal para a modernização do país. Em1836, as idéias românticas começaram a fluir, foram levadas da França e da Inglaterra pelos emigrados durante a revolução. Em Portugal, podemos considerar a existência de duasgerações românticas:
- Primeira Geração: marcada por preocupações históricas e políticas; nela se destacam Almeida Garrett, Alexandre Herculano e Antônio Feliciano de Castilho;
-Segunda Geração: as características românticas estão definidas e amadurecidas; nela se destacam Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis, Soares dos Passos e João de Deus. O romantismo portuguêsrepresenta uma ruptura com o passado, do mesmo modo que a revolução política. Os temas, os géneros literários, as ideias são importados de fora e impostos de cima para baixo, defora para dentro, inclusive o seu nacionalismo medievalista. Se alguma tradição está atrás dos românticos portugueses, é a tradição pombalina, reformadora, antijesuítica emodernizadora. Verney, os árcades, a reforma da Universidade, os «estrangeirados» constituem a verdadeira introdução ao romantismo português.

Conclusão

Compreendemos que o Romantismo, nãopassou de uma forma de repudiar as regras que contornavam e preenchiam o campo literário da época que, juntamente com a ideologia vigente, traziam um enorme descontentamento. Estemomento em que a literatura presenciava, talvez fosse, o marco principal para a definitiva liberdade de expressão do pensamento, que viria se firma, tardiamente com o Modernismo.
tracking img