Richard strauss

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1177 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O MORCEGO - Richard Strauss ( 1864 – 1949)
(repertório do evento didático/ 15 de Abril)
A escolha fascinante por essa música deu-se pelo fato da sugestão, ou melhor, pela impressão exata que a execução dos instrumentos causa ao perceber/sentir realmente, o vôo do morcego.
Discutir e pedir uma pesquisa sobre a forma de vida de um morcego e proporcionar a consciência e importância da tãofalada “onda sonora” propondo conceitos tão abstratos em tão concretos.
Quanto ao caráter da música no próprio repertório reforça que a obra exaltava a alegria de viver em Viena, realmente é uma música muito atrativa.
Desenhos rítmicos ou invenção de representar outras formas graficamente( como sugere o Pedagogo musical Schafer), e lê-los tocando flauta, por exemplo, são exercícios bemsugestivos.
Biografia: Richard Strauss .
Nasceu em Munique, Alemanha. O pai era um excelente trompista. A música de Wagner foi de grande influência para a música de Strauss.
Em 1885, o maestro Hans Von Bülow o contratou para ser seu assistente em Meiningen.
Através das influencias de Bülow e do pai, seguiu uma linha tradicional, mais ligada à música pura, de feição bastante mozartiana, mas emMeiningen conheceu Alexandre Retter (1º violinista da orquestra) onde Strauss mais tarde confessou: “ foi Ritter quem fez de mim um músico do futuro.”
Teve uma carreira promissora. Em 1919 foi nomeado para a direção da Òpera de Viena, ajudou a criar o Festival de Salzburgo e organizou um sindicato de músicos.
Richard Strauss acabou se envolvendo, um tanto que ingenuamente, com o sistema. Pouco apouco Strauss foi se isolando em sua casa de campo em Gramusch. Faleceu em 8 de setembro de 1949.
As obras de Strauss são exemplos perfeitos dos 3 gêneros: o poema sinfônico, a ópera e o lied.
Fonte Biográfica: Blogger: Maxproview. Nova Friburgo, Rio d Janeiro, Brasil.

  Complemento biográfico:
Seu pai, Franz Strauss, era primeiro trompista da orquestra da Ópera de Munique, tendoparticipado da estreia de Tristão e Isolda e Die Meistersinger, sendo muito elogiado pelo próprio Wagner, que gostava de ouvi-lo tocar solos das partes de trompa de suas óperas e pediu-lhe que revisasse as partes desse instrumento na partitura de Siegfried. Ainda criança, Strauss estudou violino e harpa com membros dessa mesma orquestra, e antes de completar dez anos, já havia escrito uma serenata parainstrumentos de sopro.
Em 1885 Richard Strauss tornou-se assistente do célebre regente Hans von Bülow em Meiningen e, um mês mais tarde, tornou-se regente titular daquela orquestra. Foi também diretor da Ópera de Weimar (1886), Berlim (1898), e Viena (1919-1924).
Em 1894 ele foi convidado por Cosima Wagner a reger Tannhäuser em Bayreuth, tornando-se amigo da viúva de Wagner.
Entre 1886 e 1898Richard Strauss assombrou o mundo com uma série de poemas sinfônicos e sinfonias. Em 1893 ele se casou com asoprano Pauline de Ahna, a primeira a cantar o papel de Freihild em sua primeira ópera, Guntram. Mas quando ele conheceu o poetaHugo von Hofmannsthal por volta de 1909, uma nova fase se abriu na produção musical de Richard Strauss, dedicada principalmente à ópera.
Durante a Primeira GuerraMundial Richard Strauss foi ardente partidário da dinastia dos Hohenzollern. Apesar disso, durante a década que se seguiu à derrota da Alemanha o músico foi acolhido internacionalmente com calor e respeito.
Em 1923 Richard Strauss esteve no Brasil, onde deu memoráveis concertos no Rio de Janeiro e em São Paulo.
Após a subida ao poder de Hitler (1933), Richard Strauss aceitou ser nomeado diretordo Reichsmusikkammer (1934). Isso tem levado a suspeitas de simpatia com o nazismo, o que fez com que o compositor sofresse o desdém de outros músicos que protestaram veementemente contra o regime nazista, entre os quais Toscanini, Arthur Rubinstein e Otto Klemperer. É sabido que Strauss dedicou uma canção a Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha Nazista.[1] Richard Strauss não seria...
tracking img