Revolta felipe dos santos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1098 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Revolta de Vila Rica



Introdução

A região de Minas Gerais, na qualidade de maior centro de exploração mineral, também foi o local propício para diversos episódios de indignação e revolta contra o controle massivo das autoridades metropolitanas.A Revolta de Felipe dos Santos, também conhecida como revolta de Vila Rica, foi um dos inúmeros levantes provocados pelo rigoroso fiscalismoexercido pelos portugueses durante o “ciclo do ouro” e aconteceu em 1720 em Minas Gerais.

A região de Minas Gerais era a grande produtora de ouro no século XVIII. Observando a ameaça de seus lucros com o contrabando e a livre exploração dos minérios, Portugal resolveu implementar uma série de tributações a serem aplicadas sob a região das Minas Gerais.O quinto, por exemplo, era cobrado sobre todooutro extraído (20% ficavam com Portugal).

Em 1719, ainda buscando garantir uma ampla margem de lucro, os portugueses instituíram as chamadas Casas de Fundição, que funcionariam como centros de cobrança e controle sobre as riquezas extraídas do solo. 

Paralelamente à tributação dos minérios, a formação de diversos centros urbanos trouxe outra notável fonte de renda à metrópole.

Em11 defevereiro de 1719, a Coroa instituiu um pesado imposto; o “quintamento” do ouro.Esse tributo obrigava cada minerador a dar à Coroa a quinta parte de toda a sua produção. Para melhor controle da cobrança do “quinto”, as autoridades reinóis proibiram, , em 1720, a circulação do ouro em pó. Quem fosse pego desrespeitando as leis portuguesas era preso e recebia uma grave punição (como por exemplo, degredopara a África).


Devido aos impostos, as punições e a fiscalização portuguesa, a insatisfação populacional foi crescendo nas regiões de extração de ouro.
Além do povo, comerciantes e proprietários de minas de ouro, que pagavam taxas e impostos, também estavam insatisfeitos com tudo que ocorria na colônia.



Temendo que a medida provocasse tumultos, o governador das Minas Gerais,D. Pedro de Almeida Portugal, Conde de Assumar, pediu o envio de um regimento da cavalaria à zona mineradora. Com a chegada dos soldados, os habitantes de Pitangui, liderados por Domingos Rodrigues Prado, realizaram várias manifestações.

O monopólio que os reinóis (portugueses) exerciam sobre a comercialização de gêneros de primeira necessidade encarecia, à medida que aumentava aprodução de ouro. Vários mineiros, entre os quais Pascoal da Silva Guimarães, Sebastião Veiga Cabral e Felipe dos Santos Freire (principal líder), em Vila Rica, promoveram o levante.

Felipe dos Santos Freire era um rico fazendeiro e tropeiro (dono de tropas de mulas para transporte de mercadorias). Com seus discursos e idéias atraiu a atenção das camadas mais populares e da classe média urbanade Vila Rica. Defendia o fim das Casas de Fundição e a diminuição da fiscalização metropolitana.



As tropas portuguesas prontamente reprimiram o levante. Ao descontentamento causado pela nova legislação referente à cobrança do “quinto “ real, acrescentou-se a revolta da população diante da ação violenta dos dragões de cavalaria.

Às 23 horas dodia 28 de junho de 1720, véspera da festa de São Pedro, um grupo de mascarados atacou a casa do ouvidor-mor de Vila Rica. Ao amanhecer, quando uma multidão se aglomerava no largo da Câmara, os chefes da revolta enviaram um memorial ao governador, redigido pelo letrado José Peixoto da Silva. Nesse documento exigiam-se: redução de diversos impostos e das custas judiciais. abolição dos “estancos”(monopólios) da carne, aguardente, fumo e sal. a suspensão da medida que determinava a obrigatoriedade da fundição do ouro.

O Conde de Assumar, temendo que a revolta se alastrasse, respondeu que “concederia ao povo tudo que fosse justo, contanto que se restabelecesse a ordem”. Os revoltosos, percebendo que o governador procurava ganhar tempo, exigiram que o mesmo...
tracking img