Resumos de portugues fernando pessoa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2073 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
português Português

Fernando Pessoa

Fingimento artístico

. A poesia é um produto intelectual;

. Não acontece no momento da emoção, resulta da sua recordação;

. É necessário intelectualizar os sentimentos e sensações para criar arte;

. A distanciação do real permite elaborar mentalmente algo novo -> concepção de novas relações significativas;

. Fingir não é mentir, mas simtransfigurar a realidade utilizando a imaginação e a razão;

. O que importa é a sinceridade artística;

. Síntese da imaginação e da sensação.

Citações: “Eu simplesmente sinto/ Com a imaginação/ Não uso o coração.”; “O poeta é um fingidor/ Finge tão completamente/ Que chega a fingir que é dor/ A dor que deveras sente.”

Dor de pensar

. Pessoa sente-se condenado à consciência;

. Quantomais se conhece mais se percebe que não é uno;

. A consciência de si condiciona a sua felicidade;

. Questiona-se sobre a utilidade do pensamento;

. Não consegue fruir instintivamente da vida;

. Efemeridade;

. Desejo de uma inconsciência consciente.

Citações: “Escuto, e passou…”; “Ah, poder ser tu, sendo eu!/ Ter a tua alegre inconsciência/ E a consciência disso! (…)”Nostalgia da infância

. Recorda o tempo em que era feliz pois era inconsciente;

. Infância = sentir;

. Inutilidade do sonho pois não pode voltar atrás no tempo;

. Símbolo da inconsciência, do sonho e de uma felicidade longínqua;

. Recordar ≠ Reviver;

. Tempo como factor de desagregação porque tudo é efémero;

. Os sons da natureza, da música e das crianças a brincar na rua, entreoutros, fazem lembrar a infância perdida.

Ricardo Reis

Estoicismo

. Aceita as leis cruas do destino de forma resignada e conformista;

. Renuncia os prazeres violentos;

. Apatia.

Citações: “Quer gozemos, quer não gozemos, passamos como um rio”; “Sem paixões, nem ódios, nem paixões que levantam a voz”

Epicurismo triste

. Defesa do prazer do momento como caminho da felicidade;

.Carpe Diem;

. Ataraxia.

Citações: “Cada dia sem gozo não foi teu”; “Colhe/ O dia, porque és ele”

Neopaganismo

. Crença nos deuses gregos e na presença divina das coisas

Citações: “As rosas amo dos jardins de Adónis”

Alberto Caeiro

. Vê a realidade de forma objectiva e natural;

. Recusa o pensamento metafísico e o miticismo;

. Nega a utilidade do pensamento;

. Poetada Natureza;

. Personifica o sonho da reconciliação do Universo com a harmonia pagã e primitiva da Natureza – desejo de integração e comunhão com a Natureza;

. Inexistência do tempo;

. Poeta Sensacionista – dá primazia à visão;

. Inocência e constante novidade das coisas: pasmo essencial;

. A poesia é um acto involuntário e espontâneo;

. Recusa a introspecção e a subjectividade;. É um ser uno e não fragmentado;

. Panteísta naturalista;

. Mestre de Fernando Pessoa ortónimo e restantes heterónimos;

. Antítese de Fernando Pessoa ortónimo: elimina a dor de pensar, isto é, ao não intelectualizar as sensações Caeiro consegue encontrar a tranquilidade que o eu criador nunca conseguiu alcançar.

Citações:

Álvaro de Campos

1ª Fase

. Tédio, cansaço,desassossego, abulia, náusea;

. Desejo de fuga à monotonia;

. Necessidade de novas sensações;

. Busca de evasão;

. Sentimento de derrota;

. Aspiração à ataraxia;

. Falta de sentido para a vida.

Citações: “Nunca fiz mais do que fumar a vida”

2ª Fase

. Exaltação do mundo moderno, da velocidade, da força;

. Excesso de sensações;

. Sadomasoquismo;

. Desejo de simbiose com omoderno;

. Terminologia do mundo mecânico;

. Novo conceito de beleza;

. Tentativa de chocar e provocar escândalo;

. Inquietude.

Citações: “Sentir tudo de todas as maneiras”, “Ser completo como uma máquina”

3ª Fase

. Dor de pensar;

. Incapacidade das realizações;

. Nostalgia da infância;

. Inadaptação, frustração, angústia, náusea, revolta, conformismo;

. Solidão;...
tracking img