Resumo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2037 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UMA RELIGIÃO
Existe um significado transcendente na busca do homem pelo conhecimento do próprio corpo; o corpo do homem é um corpo no mundo, corpo concreto. Mossos gestos e, portanto, toda a sedução imiscuída neles se transformou em mercadoria, soldo apesar de nós mesmo. Formação do meu trabalho em mercadoria se realiza pela ruptura entre eu e o meu próprio corpo. Parcelas cada vez maiores dapopulação trabalhadora se dedicam a tarefas burocráticas, passam a melhor parte do dia a folhear papéis, bater carimbo, frequentar reunião. ( não se trata de trabalho improdutivo, mas da produção mediatizada pelo trabalho alheio, um burocrata produz com o gesto do outro.)
Encontraremos esse mesmo trabalhador em uma academia de ginastica, movendo freneticamente todos os seus músculos. Apreocupação com o corpo que instância, uma luta pela reapropriação de si mesmo, um protesto contra o caráter alienante do trabalho, um passo a mais em direção á liberdade. Paralelamente com a necessária reintegração do corpo, com a urgente revalorização do prazer, se estrutura um verdadeiro culto ao corpo, em tudo análogo a qualquer religião, dogmática e idólatra como soem ser as religiões, em uma palavraassistimos hoje ao surgimento de um novo universo mágico: A CORPOLATRIA.
A corpolatria dispõe de templos, como soe acontecer com as religiões, e também de adeptos aos milhares, todos devidamente a caráter; conheça alguns dogmas da corpolatria:
I. “ Amar a si mesmo sobre todas as coisas”
II. “ ninguém vai ao homem senão pelo corpo”
III. “o prazer é o cominho, a verdade e a (única)vida”
IV. “ bem- aventurados os que amam a si próprios, porque deles será o reino dos céus”
V. “ o corpo é onipresente e onisciente”
VI. “Expulsar os vendilhões....”


EU ME AMO...

A marca mais evidente da corpolatria é o narcisismo. na época de Freud os psiquiatras consideravam o culto excessivo á própria imagem como uma doença; hoje além de perder o caráterpatológico, passou a significar sinônimo de bem-estar consigo mesmo.
Algum tempo atrás, o sucesso que as companhias insistiam em associar pavloviamente á nicotina era representado pela conquista de mulheres bonitas, esculturais. Hoje o mesmo sucesso aparece ligado a esportes, foi o fumante que se tornou escultural e não mais a sua presa.

O modelo da juventude deixou de ser um rapaz com os cabeloslongos e desgrenhados, costas curvadas, calça velha, azul e desbotada. Hoje a juventude mais badalada é o tipo cool chic- cabelos cuidadosamente aparados músculos salientes, blazer branco, muito brilho, muito realce. Arrogante e sedutor, o corte da roupa é escolhido de modo a ressaltar as formas do corpo, cores claras contrastando com a pele bronzeada. A novidade e que o holismo que qualquerpsicologia pretende é atingido nessas praticas a partir do próprio corpo. Freud “o individuo toma como objeto sexual seu próprio corpo e o contempla com agrado, o acaricia e o beija até chegar á satisfação”. Eis a principal característica da corpolatria: sempre ressalta um corpo – o meu. Espelho, espelho meu, haverá alguém mais bonito, mais importante do que eu... Alias, existe mais alguém?O BICHO DENTRO DO HOMEM

Nem só de narcisismo e individualismo se alimenta a corpolatria. Há outro pressuposto que a representa de modo indiscutível: existe um animal urrando dentro do homem, ansioso por liberdade. O objetivo da bioenergética é ajudar o individuo a retornar sua natureza primária, que se constitui na sua convicção de ser livre, seu estado de ser gracioso e sua qualidade deser belo.

Márcia Moura, num “livro” que já na décima edição, assegure: “ Em vida temos dois compromissos básicos: um com as sobrevivências e outro com o prazer. todas as nossas conquistas são em função do prazer e esse é, justamente, o impulso contra o qual temos de lutar, a fim de mantê-lo ‘nos limites`”.
O próprio Wilhelm Reich, em um determinado momento, chamou a sua intervenção...
tracking img