Resumo teoria das ri

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3534 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Construtivismo
1. Porque o construtivismo pode ser considerado uma via media entre o realismo e o liberalismo? Elementos que pega de um e do outro.
O Construtivismo busca construir uma ponte de ligação entre o a epistemologia positivista e ontologia pós-positivista, ou seja, a construção de um elo entre as preocupações positivista (explicar as RI) e as pós-positivistas (entender como sãoconstruídas as RI). No entanto, a posição intermediária entre duas perspectivas distintas de construção não é algo neutro ou sem consequências, e é em vista disso que o Construtivismo pode ser considerado o caminho lógico de síntese das RI. A teoria construtivista tem como objetivo principal ser uma via média nos estudos das RI, já que quando discutimos fenômenos não observáveis, não é possívelseparar a realidade (ontologia) da teoria (epistemologia), uma complementa a outra, pois sem teoria não podemos analisar e compreender a existência da realidade conforme o ideal do Construtivismo. Ex: ao se descrever o poder, sabemos que ele existe, mas precisamos da teoria para dar significado a ele, mesmo que se discorde da sua definição.
O Construtivismo considera fundamental o conhecimentoproduzido entre os Estados como condicionante não apenas do comportamento dos Estados, mas também de suas identidades e interesses. Visto isso, nota-se que o Construtivismo compartilha com outras teorias pós-positivistas a mesma ontologia, ou seja, a compreensão de que as ‘coisas’ de relações internacionais são constituídas de ideias, em vez de serem causadas por condições materiais empiricamentetestáveis. Porem, o Construtivismo se posiciona ao lado de teorias positivistas, quando metodologicamente considera fundamental buscar explicações em relações internacionais. Nesse sentido, a teoria adere ao Realismo Cientifico, pois considera que o mundo existe independentemente dos seres humanos.

2. Qual é o papel da identidade na formação do interesse dos estados?
A base da interpretaçãoconstrutivista das relações internacionais parte da ideia de que os Estados são construídos socialmente e que seus interesses são determinados pelo processo de construção da sua identidade.
A identidade corporativa refere-se ás qualidades intrínsecas que constituem o ator (Estado) individualmente. A identidade dos Estados explica porque eles existem, formando basicamente quatro interesses: segurançafísica, segurança ontológica, reconhecimento por parte dos outros e sobrevivência por meio da força bruta, e desenvolvimento no sentido do desejo de uma vida melhor. Como os Estados satisfazem seus interesses depende de como eles se definem uns em relação aos outros, o que é uma função da identidade social. É importante notar que as identidades sociais podem assumir múltiplas formas, ou seja, umEstado pode pertencer ao continente X, ter uma política econômica Z, adotar a religião B, etc.
Pode-se dizer então que as identidades são adquiridas pelo processo de relacionamento entre os Estados. A identidade é a base da construção dos interesses e passa existir somente quando os Estados em questão começam a se relacionar. As relações de cooperação e conflito entre Estados dependem do processo deformação de identidade entre eles, ou seja, as ameaças sociais são construídas e não são naturais.

3. Porque o construtivismo é o uma teoria importante para se pensar os distintos processos de integração? Conflito e integração sempre existem
O comportamento cooperativo de um Estado pode ser induzido por outro cooperativo de outra parte. Sendo assim possível quebrar um ciclo negativo deidentidade e iniciar um positivo. Trata-se de criar instituições que estimulem novos entendimentos sobre si e sobre os outros Estados. Através do tempo, a interdependencia produziria resultados positivos que afetariam as identidade nacionais e, por consequência, o interesse nacional.
Há duas precondições para a alteração das identidades: deve haver uma razão para que o Estado repense a si...
tracking img