Resumo sobre geor wihelm friedrich hegel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (987 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo
Geor Wihelm Friedrich Hegel
Geog Wihelm Friedrich Hegel (1770 – 1831) foi um legítimo filho do Romantismo. Hegel diz que a razão é algo dinâmico, um processo. A “verdade” não é outra coisasenão esse processo. Para ele, fora do processo histórico não existe qualquer critério capaz de decidir sobre o que é mais verdadeiro e o que é mais racional.
Para Hegel, não podemos separar umafilosofia ou um pensamento do seu contexto histórico. Ele acreditava que a razão é “progressiva”, pois sempre se acrescenta algo novo ao que já existia. Isso significa que o conhecimento humano progridecada vez mais e caminha com a humanidade toda em sua eterna marcha que resultaria em um rumo a uma consciência cada vez maior de si mesmo.
Hegel dizia que quem se dedica ao estudo sério da históriapercebe que geralmente um novo pensamento surge com base em outros formulados anteriormente. Uma vez formulado, porém, o novo pensamento será inevitavelmente contradito por outro. Aparecem, assim, duasformas de pensar que se opõem e entre elas há uma tensão. Esta tensão é quebrada quando um terceiro pensamento é formulado, dento do qual se acomoda o que havia de melhor nos dois pontos de vistasprecedentes. A toda essa dinâmica, Hegel dá o nome de “evolução dialética”.
Em suma, Hegel cria a “tese” ou posição (a primeira nova idéia), a “negação” ou antítese (a segunda nova idéia, que é contráriaa primeira) e por fim surge a “negação da negação” ou síntese onde se extrai o melhor das duas idéias.
Com relação à sociedade, Hegel acredita que o Estando é “mais” do que o cidadão isolado. Ele émais do que a soma de todos os cidadãos. Hegel acha impossível “desligar-se” da sociedade, por assim dizer. Para ele, quem dá as costas à sociedade em que vive e prefere “encontrar a si mesmo” é umlouco.
Para justificar sua posição sobre a sociedade, Hegel argumenta que o espírito do mundo retorna a sim mesmo em três estágios. O primeiro ele chama de “razão subjetiva” que é quando um espírito...
tracking img