Resumo sobre as estruturas mentais do período medieval.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (578 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo sobre As Estruturas Mentais do período Medieval.
O homem no período medieval era um ser muito ligado a visão religiosa do mundo, de modo a ter como referencial o que erasagrado, e viver sob signo do sobrenatural. Signo esse que o autor, Hilário Franco Junior denomina de Hierofania. Tendo isso como base, partimos às estruturas auxiliares da mentalidade Medieval.
Suaconcretude religiosa se origina do dualismo proveniente da crença na onipresença de anjos que se deveria atrair e demônios que se deveria exorcizar. A noite traia a escuridão e com isso, o medo. Asatividades eram feitas em sua maioria durante o dia, com o aproveitamento da luz do sol. Alimentavam um apreço por cores fortes acentuadas, pois estavam ligadas à luz, daí a representação de Cristo comoo Sol de alguns artistas da época.
Sua literatura era repleta de viagens ao Outro Mundo, fator presente também na psicologia coletiva naquela época. Viagens essas sempre guiadaspor um anjo, alma, animal. Na segunda metade do século XII se origina a ideia de Purgatório, amenizando assim o dualismo existente até então. Outro fator existente era a agia, também denominada umahierofania que gerava outra hierofania, e manifestava-se Milagre, Maravilhoso e Feitiçaria, e traçar limites entre eles é um tanto quanto trabalhoso e problemático, e de pouca importância para o medievo,assim como distinguir Feitiçaria de bruxaria. Já a igreja a diferenciava entre Magia Natural (Divina) e Magia Maléfica (Diabólica).
Em meio a essa diferenciação, encontramos o Ordálio, prática quedefendia a resposta divina quando essa Lhe fosse requisitada, fazendo assim julgamentos e atribuindo acontecimentos a resposta divina, como um exemplo que o autor cita, de que em meio a um julgamento,dessem um ferro em brasa a um réu inocente, o mesmo não se feriria, já que Deus não permitiria que um inocente sofresse. Essa prática como prova de inocência ou culpabilidade foi abolida pela...
tracking img