Resumo sintomas cardiologicos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1850 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Semiologia Cardiovascular
Jeffet Lucas Silva Fernandes
Principais sinais e sintomas a serem pesquisados num paciente com suspeita de cardiopatia (na ordem dos que mais levam o paciente a procurar o médico):
Dor Torácica
A dor precordial (região correspondente ao coração) ou retroesternal (atrás do esterno) pode ter origem no coração ou na pleura, esôfago, aorta, mediastino, estômago e naprópria parede torácica, portanto é necessário distinguir a dor decorrente de alterações do coração e grandes vasos da originada em outros órgãos.
Corresponde à dor na isquemia miocárdica, a dor pericárdica e a dor de origem aórtica.
1. Dor na Isquemia Miocárdica:
Devida à hipóxia celular →estimulação das terminações nervosas da adventícia das artérias e do próprio miocárdio por substânciasliberadas durante a contração;
Causa mais comum é aterosclerose e suas complicações, principalmente espasmo e trombose, assumindo características clínicas especiais no infarto e na angina do peito. Outra causa importante é a estenose aórtica.
a. Localização:
i. Tipicamente retroesternal, podendo estar um pouco a esquerda da linha esternal ou mais raramente à direita;
ii. Da mandíbula ao umbigo podeser doença coronariana;
iii. Pequena área ou toda a região precordial;
iv. Pode haver localização atípica;
v. Dor perimamilar quase nunca é de origem cardíaca ←psicogênica, osteoartrite, distensão do estômago, distensão do ângulo esplênico;
vi. Dor nas articulações condroesternais que piora à palpação→Osteocondrite;
vii. Irradiação típica é para a face interna do braço esquerdo;
viii.Irradiação guarda estreita relação com a intensidade.
b. Intensidade:
i. Não tem relação com gravidade, mas indica o grau de sofrimento do paciente;
ii. Varia de acordo com o grau de comprometimento isquêmico;
iii. Pode ser classificada em Leve (o paciente sente mas não se fixa nela, relato de peso ou desconforto), Moderada (paciente bastante incomodado e agrava-se com os exercícios físicos), Intensa(grande sofrimento, obriga a ficar o mais quieto possível, +sudorese, palidez, angústia e sensação de morte iminente);
c. Fatores Desencadeantes ou Agravantes:
i. Aumento do trabalho cardíaco(esforço físico,...)→angina do peito;
ii. No infarto do miocárdio, a dor se inicia usualmente com o paciente em repouso;
iii. Dor retroesternal após vômitos intensos se deve à laceração da mucosa dolsegmento inferior do esôfago;
iv. Dor torácica que surge com as mudanças de decúbito ou movimentos do pescoço origina-se na coluna cervical ou dorsal (osteoartrite, hérnia de disco);
v. Dor retroesternal ou epigástrica durante a deglutição é causada por espasmo esofágico ou esofagite;
vi. Dor que se agrava com tosse pode ser devida a pericardite, pleurite ou compressão de uma raiz nervosa.
d. FatoresAtenuantes:
i. Alívio pelo repouso é uma das características fundamentais da angina do peito clássica e o uso de vasodilatadores coronários também faz a dor desaparecer;
ii. Na angina do peito clássica, a dor desaparece em 3 ou 4 minutos com o uso de nitrato sublingual. Se demorar 5 ou 10 pode ser angina instável;
iii. Quando a dor cessa ou é aliviada com inclinação do tórax para frente ou comcompressão com um travesseiro pode ser pericardite;
iv. A dor do infarto persiste ou melhora muito pouco com o uso de nitratos;
v. Posição antálgica (aquela que ameniza a dor).
e. Frequência:
i. Correlaciona-se um pouco com a gravidade;
f. Início:
i. Importante para saber o grau de evolução da doença;
ii. 1 a 2 anos é o período de evolução da doença coronariana com maior risco de infarto;g. Duração:
i. Na angina do peito estável
 Dor dura de 2 a 3 minutos, raramente ultrapassando 10;
 Dor estreitamente relacionada com esforço físico;
 Origem é apenas hipóxia miocárdica, sem alteração necrobiótica;
ii. Na angina do peito instável
 A dor dura até 20 minutos;
 Já há alterações histológicas;
 Não há relação com esforço físico;
iii. No infarto do miocárdio
 Dor...
tracking img