Resumo shakespeare maquiavel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6976 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
lA natureza da política em Shakespeare e Maquiavel
MIGUEL CHAIA
OR QUE RETOMAR Shakespeare e Maquiavel numa época em que a política opera fundamentalmente a partir de uma macroabordagem, com destaque para os sistemas políticos e as ideologias, e quando as preocupações estão voltadas para o funcionamento das instituições, a conquista da cidadania e o controle das massas? Esses dois autoresindicam rumos para a resposta: Maquiavel, na dedicatoria de O príncipe a Lorenzo de Medici, afirmando que o livro não quer outra coisa que o valorize "a não ser a variedade da matéria e a gravidade do assunto a tornarem-no agradável"; e Shakespeare, ao alertar em Hamlet, que "o tempo está fora dos eixos" ensinam que a política caracteriza-se pela gravidade e pela disjunção. Maquiavel e Shakespeareprojetam o saber histórico e o artístico sobre o campo do pensamento político, desorganizando-o e marcando aí o momento da instauração da modernidade. Neste sentido, eles demonstram que o espaço da política contém desafios e tensões constantes para todos os homens em qualquer época, superando antigas concepções que imprimiam estabilidade ou coerência à política. Um olhar mais demorado e mais exigentedeve "ver a ciência com a óptica do artista, mas a arte, com a da vida" (Nietzsche, 1992:15). Nos textos destes dois autores, que produzem sob inspirações específicas e em épocas diferentes, encontramos um ordenamento de mundo fundado na política (das 27 peças de Shakespeare, 22 tratam de temas políticos, a maioria de forma direta; mesmo as obras literárias de Maquiavel abordam indiretamente apolítica). Eles entendem que as diferentes formas de exercício do poder dão significados distintos à vida dos indivíduos, à história de uma cidade ou ao destino de um povo. Abrem espaços inusitados para se observar os homens e suas práticas a partir do plano político sem, no entanto, condicioná-las a uma única causa. A seguir, são apresentados alguns supostos que serão aprofundados na última partedeste texto, utilizando-se como referência básica, mas não exclusiva, A tempestade, pois outras peças de Shakespeare servirão como elementos para conclusões.

P

Um deslocamento da abordagem política: Shakespeare clarificado por Maquiavel
No presente estudo, a abordagem política destes autores será reconstituída tomando-se como parâmetros a aproximação entre arte e política e a proximidadeentre indivíduo e poder. Estes dois aspectos, que podem ser observados com maior ou menor intensidade em determinadas obras, serão os elementos nucleares para analisar a natureza da política em Shakespeare, clarificado por Maquiavel. No que se refere à relação entre arte e política, é indiscutível que toda obra de Shakespeare constitui-se numa forma de conhecimento expressa na mais alta poesia edramaturgia produzidas pela civilização. O texto e a literatura compõem o suporte para as idéias deste autor, cuja produção é voltada para a montagem teatral. Maquiavel, por sua vez, também expressou-se pela literatura, através de obras como Cartas florentinas e A mandrágora. Nos dois autores, portanto, encontra-se, na abordagem dos homens e da história, uma sensibilidade aguçada pela arte. Nestesentido, um estudo que considere a intersecção de Maquiavel com Shakespeare desloca o enfoque político do centro da esfera política para as suas bordas, em que campos limítrofes auxiliam-se mutuamente na compreensão do fenômeno político. Este deslocamento permite novas possibilidades e recursos para conquistar uma posição estratégica ou diferenciada quanto à investigação política. Esta mudança deperspectiva é importante para manter arejada a ciência política, conforme uma indicação apanhada em Maquiavel (1969:12):"... assim como aqueles que desenham a paisagem se colocam nas baixadas para considerar a natureza dos montes e das altitudes e, para observar aquelas, se situam em posição elevada sobre os montes, também para bem conhecer o caráter do povo, é preciso ser príncipe e, para bem...
tracking img