Resumo semiologia respiratória

AVALIAÇÃO CLÍNICA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO (Resumo Mário Lopes)
Manifestações clínicas pulmonares:
• São divididas em primárias – se originam no próprio órgão( 7: tosse, expectoração, hemoptise, chieira torácica, dor torácica (manifestação pleural), dispneia e cianose. Traduzem acometimento de VA, pleura ou distúrbio funcional da ventilação ou trocas gasosas; e secundárias – associadas àpneumopatias, mas não são específicas e exclusivas das doenças pulmonares. Podem ser gerais ( processos inflamatórios, infecciosos, neoplásicos (febre, astenia, anorexia, emagrecimento.
• Manifestações mediastinais: ocorre por relação de contiguidade. Ex.: Síndrome da Veia Cava Superior.
• Manifestações extratorácicas: síndromes que acompanham doença pulmonar ( relação causa- efeito. Ex.: hipocratismodigital, osteoartropatia hipertrófica, síndrome paraneoplásica.


• MANIFESTAÇÕES PULMONARES PRIMÁRIAS
São classificadas em: manifestações das vias aéreas, pleurais e funcionais.
MANIFESTAÇÕES DAS VIAS AÉREAS (4)

1- Tosse: expiração explosiva acompanhada de ruído característico. Mecanismo de defesa. Manifestação mais comum!
Espirro: limpa nasofaringe e fossas nasais.
Tosse: limpa VAinferior e laringe.
- Não existe tosse normal!!! ( macrófago e aparelho mucociliar é a defesa!!
- A tosse é um reflexo controlado pelo bulbo (involuntário), mas centros superiores pode controlar a tosse.
- Nem sempre é sinal de defesa, pode ser Tb sinal de irritação, seco.
- Mecanismo da tosse: 4 fases: nervosa ( inspiratória ( compressiva ( explosiva.
Estímulo (mecânico, térmico,químico) ( sensibiliza receptor ( via aferente ( chega ao centro da tosse ( via eferente ( aciona mm respiratório e glote ( inspiração rápida ( glote se fecha ( vigorosa contração da musculatura expiratória ( abertura súbita da glote ( fluxo explosivo.
- Estímulo mais importante: inflamação das VA inferiores.
- Os receptores mais centrais respondem aos estímulos mecânicos, enquanto os receptoresperiféricos são disparados por estímulos químicos. (principalmente)
- A maior densidade de receptores se encontra ao nível da laringe. À medida que avança, vai diminuindo, mas ainda está presente nos bronquíolos respiratórios.
- Fase inspiratória ( receptor traqueobrônquico!!
Fase expiratória ( Laringe!!
- Tosse ineficaz: 1- problema com a fase nervosa: depressão do SNC – anestésicos, comaou voluntário por centros superiores. São interrupções ao nível da placa motora (curare)
2- problema com a fase inspiratória: não insufla corretamente nos estados dolorosos ( pós-operatório tórax e abdome, doenças debilitantes, rigidez caixa torácica (cifoescoliose).
3- problema com a fase compressiva: paralisia das cordas vocais, traqueostomia, intubação endotraqueal ( impossibilitamfechamento da glote. Mas expiração forte garante tosse eficaz.
4- problema com a fase explosiva: pode ser por fluxo aéreo reduzido( DPOC, asma, bronquiectasia, fibrose cística ( aprisionamento de ar nos alvéolos.
- Complicações da tosse: fratura de costela (raro ( investigar doença de base), Ruptura do reto abdominal, pneumomediastino (ar escapa para interstício), enfisema subcutâneo, pneumotórax. Comoela é uma manobra de valsalva ( ↓ DC, ↓ PA, ↑ Pressão venosa ( provoca ruptura de veias conjuntivais e hemorroidárias. Por reflexo vagal: ↓ FC. A diminuição da irrigação cerebral ( síncope.
- Classificação clínica: AGUDA / CRÔNICA, SECA / PRODUTIVA.
Aguda: dura menos de 3 semanas.
É importante ver e escutar o paciente tossir!!
Ela é pouco indicativa do processo responsável!! Exceções:tosse rouca ( problema laringe. Tosse metálica( compressão extrínseca da traqueia.
- Causas: Infecções agudas de VA: tosse aguda, seca ou produtiva, mais intensa à noite, maioria virótica, doenças autolimitadas, tto sintomático apenas, antitussígenos NÃO estão indicados!! Tosse após infecção: sinusite pós-gripal ou hiperreatividade brônquica. Complicação: bronquites e pneumonias aspirativas....
tracking img