Resumo psicologia forense cap. ii

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1179 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo de Psicologia Forence
Cap. II



O PODER DA CRENÇA: ABORDAGEM COGNITIVA

“O mundo não nos é dado: construímos nosso mundo através de experiência, classificação, memória e reconhecimento incessantes.”

• Estamos permanentemente em desenvolvimento psicológico;

• Desejos como: ódio e vingança são motivados por paixões fracassadas;




Crenças e interpretações:




AlbertEllis concebe o comportamento como consequência de eventos ativadores sobre pensamentos, cognições e ideias do indivíduo.




• Crenças irracionais;

• Caso do “ motoboy machão ”: “ Homem que é homem não aceita ser chutado pela mulher;

• O poder da crença: uma pessoa que ingere bebida alcoólica para se excitar sexualmente acha que melhora o seu desempenho mesmo comprovado que oálcool possua propriedades inibidoras;

• Crenças como verdades absolutas incorporam-se a cultura da sociedade;

• Ideias como: “ favelas são antros de delinquentes ” , “políticos são corruptos”;

• Crenças e valores são conceitos associados.




Muitas crenças ligadas a princípios morais, tornam-se parte do caráter do indivíduo e dirigem os seus comportamentos. Justificam a incapacidade ouincompetência do individuo para emitir comportamentos (inconscientemente deseja ou inveja).



CASO 2.7, - Tal pai, tal filho.

O filho repetia o comportamento que tanto condenara do pai. Os irmãos por mecanismos de defesa justificavam pelo “mau exemplo do pai”.



As crenças adquiridas na infância, têm desenvolvimento intelectual na adolescência. Há um ajuste às novas visões de mundo, há tambémuma adaptação suave com ele mesmo, pois nem aqueles que convivem com ele percebem.

Valores:

• Crenças professadas pelo indivíduo que são um conjunto de ideias com conotação emocional, que orientam ações e decisões. Fazem parte dos critérios de decisão de cada um, e se alinham com os mais aceitos pela sociedade.

• Obedecem leis, respeitam os mais velhos, fazem o bem, revidam toda aofensa, retiram dos mais poderosos, levam vantagem em tudo, roubam desde que não sejam descobertos entre outros.

• A cultura brasileira prodigaliza conflitos entre valores individuais e disposições legais.

• O valor legitima a ação. O cidadão pratica o tráfico de drogas, sabem que infringe a lei mas, é conformado com o seu valor pessoal (tirar recurso dos mais ricos).



DissonânciaCognitiva:

• Quando uma pessoa apresenta duas crenças inconsistentes, entre crenças e comportamento há um estado de tensão e motiva-se para reduzi-lo.

• De acordo com Festinger, as pessoas constroem suas crenças, opiniões e necessidades, comparando-as com outras pessoas.

• Querer separar-se do cônjuge, porém não deseja abrir mão de felicidades proporcionadas pela a união. É um mecanismopsicológico inconsciente de defesa.

• “Na realidade há pessoas sem senso de legitimidade, sumamente irracionais, imunes à persuasão amigável, indiferentes às perdas para si e pra os outros”.



Esquemas rígidos de pensamento:

• Estímulos (internos ou externos ao organismo) o psiquismo “dispara pensamentos, caminhos pré-definidos e economiza energia psíquica.”

• “Lidar com situaçõesregulares de maneira a evitar todo complexo processamento que existe quando uma situação é nova.”

• Tornam-se esquemas rígidos de pensamento.

• Durante a adolescência, assim como as crenças reformulam-se os esquemas de pensamento, posto à prova por novos desafios. Formam-se grupos de amigos e função das semelhanças entre, valores, crenças e esquemas de pensamento.

• Esquemas rígidos depensamento acentuam-se com o passar dos anos, duas consequências são notáveis e originam conflitos: preconceitos e pensamentos automáticos.




Preconceitos:




• Recebe sinais que lhe provocam raiva, repulsa ou revolta em relação ao objeto.

• “Todo preconceito é aprendido. Ninguém nasce preconceituoso.” (Maria Amélia Azevedo)

• As pessoas constroem imagens mentais de...
tracking img